Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Jogos
teatrais
Jogos teatrais
A norte-americana Viola Spolin (1906-
1994) foi a primeira a sistematizar e
refletir acerca dos jogos teatr...
Principais livros de Spolin:
-Improvisação para o teatro (1963)
traduzido no Brasil, em 1978, por Koudela.
- O jogo teatra...
Elementos básicos do jogo:
- Jogadores e platéia;
- Foco;
- Instrução;
- Avaliação;
- Pontos de observação.
Aspectos importantes do jogo
- Diferença entre “mostrar” e “contar”;
- A corporificação do
“onde”, “o que” e “quem”.
Conceito de Jogo Teatral
O jogo teatral é um jogo de construção
com a linguagem artística. Na prática com
o jogo teatral, ...
Características do Jogo Teatral
 Jogo de regras.
 Divisão palco/plateia.
 Transição de gesto espontâneo para a
decodifi...
Princípio do Jogo Teatral
É o mesmo da improvisação teatral, ou seja,
a comunicação que emerge da
espontaneidade das inter...
Jogo Teatral na educação
Tem a finalidade de promover o crescimento
pessoal e o desenvolvimento cultural dos
jogadores por...
Fontes:
 CABRAL, Beatriz A.V. Drama como método de ensino. São Paulo: HUCITEC,
2006.
 DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do t...
Fontes
- Coleção Grandes Educadores: Jean Piaget. Apresentação
de Yves de La Taille. São Paulo: Atta mídia e educação.
Sup...
Fontes:
 HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva, 2008.
 RETONDAR, Jeferson J. M. Teoria do Jogo: a dimensã...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Jogos Teatrais

Slide sobre jogos teatrais, elaborado pela professora Rosane Christina de Oliveira. Aulas detalhadas no www.cirandadaarte.com.br/webzine

  • Als Erste(r) kommentieren

Jogos Teatrais

  1. 1. Jogos teatrais
  2. 2. Jogos teatrais A norte-americana Viola Spolin (1906- 1994) foi a primeira a sistematizar e refletir acerca dos jogos teatrais. Seu trabalho baseia-se, em parte, na experiência que teve com Neva Boyd, educadora que introduziu jogos recreativos e danças folclóricas para imigrantes, no período da grande depressão, em Chicago, a partir de 1924.
  3. 3. Principais livros de Spolin: -Improvisação para o teatro (1963) traduzido no Brasil, em 1978, por Koudela. - O jogo teatral no livro do diretor (1999) - Jogos teatrais: O fichário de Viola Spolin (2001)
  4. 4. Elementos básicos do jogo: - Jogadores e platéia; - Foco; - Instrução; - Avaliação; - Pontos de observação.
  5. 5. Aspectos importantes do jogo - Diferença entre “mostrar” e “contar”; - A corporificação do “onde”, “o que” e “quem”.
  6. 6. Conceito de Jogo Teatral O jogo teatral é um jogo de construção com a linguagem artística. Na prática com o jogo teatral, o jogo de regras é princípio organizador do grupo de jogadores para a atividade teatral. O trabalho com a linguagem desempenha a função de construção de conteúdos, por intermédio da forma estética. São procedimentos lúdicos com regras explícitas.
  7. 7. Características do Jogo Teatral  Jogo de regras.  Divisão palco/plateia.  Transição de gesto espontâneo para a decodificação de seu significado.  Estabelece o processo de comunicação.  Intencional e explicitamente dirigido para observadores.
  8. 8. Princípio do Jogo Teatral É o mesmo da improvisação teatral, ou seja, a comunicação que emerge da espontaneidade das interações entre sujeitos engajados na solução cênica de um problema ou conflito.
  9. 9. Jogo Teatral na educação Tem a finalidade de promover o crescimento pessoal e o desenvolvimento cultural dos jogadores por meio do domínio da comunicação e do uso interativo da linguagem teatral, numa perspectiva improvisacional ou lúdica.
  10. 10. Fontes:  CABRAL, Beatriz A.V. Drama como método de ensino. São Paulo: HUCITEC, 2006.  DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do teatro: provocação e dialogismo. São Paulo: HUCITEC, 2006.  KOUDELA, I.D. Jogos Teatrais. São Paulo: Perspectiva, 1984.  PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.  RYNGAERT. Jean-Pierre. Jogar, representar: práticas dramáticas e formação. São Paulo: Cosac Naify, 2009.  SLADE, Peter. O jogo dramático infantil. São Paulo: Summus, 1978.  SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo: Perspectiva, 1987.
  11. 11. Fontes - Coleção Grandes Educadores: Jean Piaget. Apresentação de Yves de La Taille. São Paulo: Atta mídia e educação. Suporte: DVD. - KOUDELA, I.D. Jogos Teatrais. São Paulo: Perspectiva, 1984. - LOPES, Josiane. Afinal, o que é construtivismo? Revista Nova Escola – Edição Nº139 - Janeiro/ Fevereiro de 2001. Disponível em: http://www.serprofessoruniversitario.pro.br/ler.php?modul o=9&texto=474. - PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1971. - SANTOS, Vera Lúcia Bertoni. Brincadeira e conhecimento: do faz-de-conta à representação teatral. Porto Alegre: Mediação, 2004.
  12. 12. Fontes:  HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva, 2008.  RETONDAR, Jeferson J. M. Teoria do Jogo: a dimensão lúdica da existência humana. Petrópolis: Vozes, 2007.

×