Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 5 Anzeige
Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Diashows für Sie (20)

Andere mochten auch (19)

Anzeige

Sistema articular

  1. 1. ARTICULAÇÕES Função: 1) Colocar os ossos em contatos 2) Mobilidade CLASSIFICAÇÃO DAS ARTICULAÇÕES: Articulações fibrosas - unem se firmemente em os elementos do esqueleto com tecido conjuntivo fibroso. Faltam as cavidades articulares. articulações cartilagíneas - unem se firmemente os elementos do esqueleto com cartilagem. Também faltam as cavidades articulares. articulações sinoviais - são articulações com liberdade de movimentos e são envolvidos por cápsulas articulares que contem liquido sinovial. CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL DAS ARTICULAÇÕES: baseia no grau de movimento permitido pela articulação. 1. SINARTROSES: Articulações imóveis. 2. ANFIARTROSES: Articulações ligeiramente moveis. 3. DIARTROSES: Articulações livremente moveis. ARTICULAÇÕES FIBROSAS As articulações fibrosas variam de articulações rígidas e relativamente imóveis aquelas ligeiramente moveis. São classificados em Suturas, Gonfoses e Sidesmoses. SUTURAS: São encontradas apenas no crânio, são caracterizadas por uma fina camada de tecido conjutivo denso irregular que une s que se articulam. Tipos de Suturas: Serrátil – caracterizada pelo entrelaçamento de articulações que se assemelham a uma serra. Ex.: sutura sagital entre os dois ossos parientais. Escamosa (sobreposição) – a margem de um osso se sobrepõe a Margem do osso com o qual se articula. Ex.: entre os ossos temporal e pariental. Plana – as margens dos ossos que se articulam são bem lisas e não se sobrepõem. Ex.: mediana sutura palatina, onde os pares de ossos maxila e palatinos se articulam para formar o palato duro. SINDESMOSE: São as articulações fibrosas ligadas por fibras colágenas ou laminas de tecido fibroso chamadas membranas interosseas. Ex.: articulação timpanoestapedial na cavidade da orelha media. Tambem ocorre no antebraço entre as partes distais do radio e ligeiros nestas articulações quando o antebraço ou a perna são rodados GONFOSES: São articulações fibrosas quer ocorrem entre os dentes e os ossos de sustentação, maxilas e mandíbulas. ARTICULAÇOES CARTILAGINEAS
  2. 2. As articulações cartilagineas permitem movimentos limitados em respostas a torções ou compressões. Possuem dois tipos de articulações: Sifinses e Sincondroses. Sinfises – São cobertas com cartilagens hialinas que é infiltrada com fibras colágenas para formar um bloco interposto de fibrocartilagem. Este bloco amortece a articulação e permite movimento limitado. Ex.: A sínfise púbica e as articulações intervertebrais formadas por pelos discos intervertebrais. Sincondroses – São articulações artilagineas que tem cartilagem hialina entre os ossos que se articulam, algumas das quais são temporárias e formam a lamina epifisal (lamina de crescimento) entre a diafise e epifese nos ossos longos de crianças. OBS.: QUANDO O CRECIMENTO SE COMPLETA ESTAS ARTICULAÇÕES SE OSSIFICAM. SENDO POSTERIORMENTE CHAMADA DE SINOSTOSE. ARTICULAÇÕES SINOVIAIS São articulações dotadas de liberdade de movimentos estão envolvidas por cápsulas articulares que contem liquido sinovial. São classificadas em: Plana, gnglimo, trocóidea, elipsoidea ou condilar, selar e esferoidea. Possui como função proporcionar uma larga amplitude de movimentos precisos, uniformes e ao mesmo tempo manter a estabilidade, a potencia e, em certos aspectos a firmeza do corpo. Estrutura de Articulação Sinovial: São envolvida por uma cápsula articular composta de tecido conjutivo denso regular. Cada capsula articular contem um liquido sinovial lubrificante contido no interior da cavidade articular. Semelhante a uma “clara de ovo”. È secretado por uma membrana sinovial fina que reveste a capsula articular por dentro. O liquido sinovial semelhante ao liquido interstical (liquido entre as células), é rico em acido hialurônico e albumina e também contem células fagociticas eu limpam os residuos de tecidos que resultam do desgaste das cartilagens artculares. Os ossos que se articulam em uma articulação sinovial são revestidos com uma camada lisa chamada de cartilagem articular, que tem ainda 2mm de espessura. Na cavidade articular falta vasos sanguineos, El precisa ser nutrida pelo movimento do liquido sinovial durante a atividade articular. LIGAMENTOS são cordões flexíveis constituídos por tecido conjuntivo denso regular que conectam os ossos que se articulam ajudando a unir as articulações sinoviais. Os ligamentos podem estar localizados dentro da cavidade articular ou no lado de fora da cápsula. Coxins cartilageneos duros, fibrosos chamados meniscos, só são encontrados no na articulação do joelho onde eles amortecem e compartibilizam os ossos que se articulam. Intimamente associadas com algumas articulações sinoviais encontramos formações achatadas semelhantes a sacos chamadas bolsas que estão cheias de liquido sinovial. Estes sacos fechados são encontrados comumente entre os músculos, ou em áreas onde tendões passam sobre os ossos, e funcionam amortecendo certos músculos, sobre as superfícies ósseas e ligamentares. Uma bainha de tendão é uma bolsa modificada que envolve e lubrifica os tendões de certos músculos, particularmente aqueles que cruzam as
  3. 3. articulações do punho e do tornozelo, que passam através de túneis fibrosos e ósseos (retinaculo dos flexores de punho) Tipos de articulações Sinoviais São classificadas em seis categorias principais tendo por base suas estruturas e os movimentos que permitem. As seis categorias são: Plana, giglimo, trocóidea, condilar ou elipsoideia, selar e esferoidea. Plana – tipo mais simples de articulação com movimentos, permite apenas movimentos de deslizamentos entre lados e de um lado para outro com ligeira rotação. Ex.: as articulações intercapais e intertarsais a articulação ternoclavicular e as articulações entre processos articulares de vértebras adjacentes. Ginglimo – são monoaxiais – como a dobradiça de uma porta – e permitem apenas movimentos em um único plano. Nesse tipo de articulação a superfície de um osso é sempre côncava e a outra convexa. Tipo mais comum. Ex.: articulações do joelho, umeroulnar no cotovelo e as articulações entre as falanges. Trocóidea – possui movimento limitado a rotação em torno de um eixo central. Nesse tipo de articulação a superfície articular de um osso é cônica ou arredondada e se ajusta em uma depressão do outro osso. Ex.: articulação proximal entre o radio e a ulna para rotação do antebraço, como girar a maçaneta da porta, e a articulação entre o atlas e o áxis que permite o movimento de rotação da cabeça. Condilar (elipsoidea) – é estruturada de forma que uma superfície convexa oval de um osso se ajuste em uma depressão côncava do outro osso, o que permite movimentos angulares em duas direções, movimentos de cima para baixo e de lado a lado. As articulações condilares são portanto biaxiais. Ex.: as articulações radiocarpal do punho e as articulações metacarpofalângicas. Selar – possui superfície côncava em uma direção e uma superfície convexa em outra. Essa articulação condilar permite uma amplitude maior de movimentos. Ex.: articulação do trapézio do carpo com o primeiro osso metacarpal e articulação entre o martelo e a bigorna, dois ossículos da audição da orelha media. Esferoidea – formada pela articulação de uma superfície convexa e arredondada com uma cavidade em forma de xícara. Proporciona maior amplitude de movimentos entre todas as demais, sendo multiaxial. Ex.: articulações do quadril e do ombro. MOVIMENTOS NAS ARTICULAÇÕES SINOVIAIS São produzidos pela contração dos músculos esqueléticos que transpõem as articulações e se fixam nos ossos próximos ou no ossos que formam as articulações. São classificados em angulares e circulares. Angulares: aumentam ou diminuem o ângulo da articulação e produzido pelos ossos que se articulam. Possuem quatro tipos de movimentos angulares são: flexão, extensão, abdução e adução.
  4. 4. 1. Flexão – movimento que diminui o ângulo da articulação no plano ântero- posterior. Ex.: Dobrar o cotovelo ou o joelho. Na flexão do tornozelo, a flexão ocorre quando a face superior (dorso) do pé é levantada. Esse movimento é freqüentemente chamado de dorsiflexão. Pressionar o pé para baixo (como andar nas pontas dos dedos) é chamada de flexão plantar. 2. Extensão – reverso da flexão, o ângulo da articulação é aumentado. O ângulo entre os ossos que se articulam é de 180°. Exceção a articulação do tornozelo, e que há um angulo de 90° entre o pé e a perna em posição anatômica. 3. Abdução – é o movimento de uma parte do corpo afastando-se do plano sagital mediano, em direção lateral. Ex.: movimento dos braços lateralmente afastando-os do corpo, a separação dos dedos, ao movimento dos pés. 4. Adução – oposto de abdução, é uma parte do corpo aproximando-se do eixo principal do corpo. Ex.: na posição anatômica, os braços e as pernas foram aduzidos em direção ao plano sagital mediano do corpo. Movimentos Circulares – Nas articulações que permitem movimentos circulares, um osso com superfície arredondada ou oval articula-se com a correspondente depressão do outro osso. Sendo os dois movimentos básicos são rotação e circundação. 1. Rotação – é o movimento de uma parte do corpo ao redor de seu próprio eixo. Não há nenhum deslocamento lateral durante este movimento. Ex.: ato de virar a cabeça de um lado para outro lado, como se estivesse gesticulando “não”, e torcendo a cintura. Supinação é uma rotação especifica do antebraço de forma que a palma da mão volta–se para diante (anteriormente) ou para cima (superiormente). Na posição anatômica, o antebraço já está em supinação. Pronação é o oposto de supinação, é um movimento rotacional do antebraço de forma que a palma está dirigida para trás (posteriormente) ou para baixo (inferiormente). Rotação medial – a face anterior do membro gira em direção ao plano mediano do corpo. Rotação medial da articulação do quadril ocorre quando um membro inferior é movimentado parcialmente através da superfície anterior do outro membro. Ex.: articulação do ombro. Rotação lateral – contraria a medial. 2. Circundação – é o movimento circulara de uma parte do corpo ao descrever no espaço a forma de um cone. Ex.: articulação possível nas articulações do tronco, ombro, punho, metacarpofalangicas, quadril, tornozelo e metatarsofalangicas. ARTICULAÇÕES ESPECÍFICAS DO CORPO
  5. 5. Das numerosas articulações no corpo, algumas tem características estruturais especiais que permitem executar determinadas funções. Estas articulações as vezes vulneráveis a trauma e são portanto clinicamente importantes. Articulações Temporomandibular: Representa uma combinação especial de articulação sinovial ginglimo com uma articulação plana. É formada pelo processo condilar da mandíbula com a fossa mandibular e tubérculo articular do osso temporal. Um disco articular separa a cavidade artcular em compartimentos superior e inferior. Os movimentos da articulação incluem abaixamento e elevação da mandíbula como uma articulação sinovial giglimo, protação e retratação da mandíbula como uma articulação sinovial plana, e movimentos rotatórios laterais. O movimento lateral torna-se possível pelo disco articular. Articulações Esternoclavicular: É formada pela extremidade esternal da clavícula e o manúbrio do esterno. Embora seja uma articulação plana, a articulação possui relativamente uma amplitude maior de movimentos por causa da presença de um disco articular no interior da cápsula articular. Articulações do Cotovelo: É uma articulação sinovial gínglimo composta por duas articulações – a articulação umeroulnar, formada pela tróclea do úmero e a incisura troclear da ulna, e a articulação umerorradial, formada pelo capitulo do úmero e a cabeça da radio. Ambas as articulações estão envolvidas por uma única cápsula articular. No lado posterior do cotovelo, existe a grande bolsa do olecrano para lubrificar a região. Articulação do Joelho (tibiofemoral): Situada entre a fíbula e a tíbia, é a maior e mais complexa, e provavelmente, a mais vulnerável do corpo. É uma articulação sinovial gínglimo complexa que permite limitada rotação e movimentos de deslizamento alem de flexão e extensão. No lado anterior, articulação do joelho é estabilizada e protegida pela patela e pelo ligamento da patela formada uma articulação plana patelofemoral. Única articulação que possui menisco. Articulação do Quadril: É formada pela articulação sinovial esferoidea do quadril suporta o peso do corpo, é portanto, muito mais forte e mais estável que a artculação do ombro. A articulação do quadril é bem protegida por uma cápsula articular fibrosa forte, vários ligamentos e vários músculos poderosos. Articulação Talocrural (tornozelo): Possui duas articulações principais na articulação do tornozelo no qual ambas são sinoviais ginglimo. Entorses estão frequentemente associadas com esta articulação. Referencias.: GRAAFF, V;Anatomia Humana, 2003. Editora Manole Ltda. São Paulo.

×