SlideShare ist ein Scribd-Unternehmen logo
1 von 8
Downloaden Sie, um offline zu lesen
"O coração do
homem traça o seu
caminho, mas o
SENHOR lhe dirige
os passos.”
(Provérbios 16: 9)
Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016
Pág. 06
Pág. 07
O Jornal Paraná
Notícias lançará no
mês de agosto uma
revista de
evangelização, a ideia
é reproduzir
conteúdo semelhante
à página Olhar Cristão
do próprio jornal.
Com bandeira verde em julho, redução na conta
de luz chega a 21,5% em 2016 Centros de
Educação Infantil
de Engenheiro
Beltrão recebem
materiais
escolares
Pág. 03
Pág. 03
Ao contrário de outros estados, Paraná
paga em dia salário dos servidores
PTBdefineapoioàpré-candidataSuely
Apesar da crise
econômica nacional, que
deixa estados e
municípios brasileiros
em situação falimentar,
o Governo do Paraná
consegue reajustar o
salário dos servidores e
pagar rigorosamente em
dia a folha de pessoal.
Na última semana,
o empresário rural
Adelino Mourão se
reuniu com
lideranças políticas
aliadas ao grupo da
pré-candidata
Suely, onde na
oportunidade,
consolidou o apoio
do partido para a
próxima eleição.
O pré-candidato a prefeito de
Goioerê, pelo PSD, Betinho
Lima, segue firme em seu
propósito de ouvir a população
Pág. 04
“É preciso ouvir a população para que possamos traçar soluções reais, somente os
moradores de cada bairro podem falar com propriedade sobre o que eles realmente
necessitam”, afirmou Betinho.
A conta de luz dos paranaenses permanecerá com a bandeira
tarifária verde ao longo de julho. Isso significa que não haverá
cobrança extra na conta de energia, o que acontece quando a
bandeira indicada é amarela ou vermelha.
Pág. 08
Pág. 03
Pág. 04
GeralPágina 02 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 PARANÁ NOTÍCIAS
Deputado TiãoDeputado TiãoDeputado TiãoDeputado TiãoDeputado Tião
MedeirMedeirMedeirMedeirMedeiros defos defos defos defos defendeendeendeendeende
fffffederederederederederalização dealização dealização dealização dealização de
UniUniUniUniUnivvvvvererererersidadessidadessidadessidadessidades
EstaduaisEstaduaisEstaduaisEstaduaisEstaduais
Em pronunciamento na Assembleia Legislativa
nesta terça-feira (21), o deputado Tião Medeiros (PTB)
falou sobre pedido de federalização do ensino superior
estadual do Paraná, protocolado por ele ao lado de
outros deputados. A solicitação sugere que a União
assuma, conforme determina a Constituição, o
atendimento acadêmico realizado pelas Universidades
Estaduais do Paraná.
“Este pedido nasce da necessidade de se
regularizar as obrigações constitucionais, pois esta
lacuna tem um grande impacto financeiro nos cofres
estaduais. É importante frisar que a solicitação não
influencia na qualidade e gratuidade do ensino superior
no Paraná”, afirmou o deputado.
A Comissão de Obras Públicas, Transportes e
Comunicação da Assembleia Legislativa do Paraná,
presidida pelo deputado estadual Tião Medeiros (PTB),
realizou nesta segunda-feira (20) uma audiência com o
diretor-presidente da Copel Telecom, Adir Hannouche.
Hannouche apresentou informações sobre a prestação
dos serviços da empresa em todo o Estado do Paraná. A
reunião ocorreu no Auditório Legislativo da Assembleia
e contou com a participação do diretor adjunto da Copel
Telecom, Maurício Dayan Arbetman, e do vice-
presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep),
Hélio Bampi.
De acordo com Tião Medeiros, a audiência serviu
para que os deputados tivessem dados sobre os planos
de expansão da Copel Telecom. A Copel Telecom é
responsável pela implantação e distribuição da malha
de fibra ótica no Estado. “Conhecer o trabalho desta
empresa paranaense é importante para projetar o
futuro, tanto no interior quanto em Curitiba”, explicou o
deputado.
Segundo o diretor-presidente da Copel Telecom, a
empresa visa fomentar o desenvolvimento com
programas como o Paraná Conectado. “No Paraná, mais
de 60 municípios contam com a alta qualidade,
estabilidade e velocidade de conexão da internet banda
extra larga da Copel Telecom. E esse número só vai
aumentar, já que os 399 municípios do Estado possuem
a rede de fibra óptica da empresa, de ponta a ponta”,
informou.
Também participaram da reunião os deputados
Márcio Pauliki, Wilmar Reichembach e Felipe
Francischini. A comissão de Obras já realizou uma
audiência semelhante com o diretor-presidente da
Companhia Paranaense de Gás (Compagás), Fernando
Ghinone. Ele apresentou informações sobre a prestação
dos serviços de gás canalizado em todo o Estado do
Paraná.
Comissão deComissão deComissão deComissão deComissão de
ObrObrObrObrObras Púbas Púbas Púbas Púbas Públicaslicaslicaslicaslicas,,,,,
TTTTTrrrrransporansporansporansporansportes etes etes etes etes e
Comunicação daComunicação daComunicação daComunicação daComunicação da
AssembAssembAssembAssembAssembleia ouvleia ouvleia ouvleia ouvleia ouveeeee
prprprprpresidente da Copelesidente da Copelesidente da Copelesidente da Copelesidente da Copel
TTTTTelecomelecomelecomelecomelecom
NISHIMORI PROPÕE DEBATE
SOBREAPOLÍTICANACIONAL DE
DEFESAVEGETAL
Como relator da Comissão
Especial de Defensivos Agrícolas, o
deputado federal Luiz Nishimori
(PR-PR) propôs 17 requerimentos
para a comissão ouvir todo o seg-
mento desde a indústria até o consu-
midor final, e revela a importância
dos trabalhos: “esta comissão é mui-
to importante para nossa agricultu-
ra e principalmente para o consumi-
dor final, e para o sucesso da comis-
são é necessário um debate amplo,
que abranja todos os problemas e
possíveis soluções para o segmento”.
Para a próxima audiência Pú-
blica o tema proposto é a política
nacional de defesa vegetal, uma vez
que o tema em questão engloba os
marcos legais de sustentação do sis-
tema de defesa, a vigilância sanitá-
ria e suas ferramentas, a oferta de
serviços e de soluções para a gestão
de pragas e doenças, melhorias na
política nacional de produtos fitos-
sanitários, a oferta de laboratórios,
a pertinência do receituário agronô-
mico e a resistência adquirida de
pragas e doenças a produtos fitos-
sanitários.
Segundo o parlamentar nesta
audiência serão debatidas as possí-
veis medidas a serem adotadas pelo
Governo Federal para assegurar a
sanidade vegetal brasileira, “preci-
samos debater as práticas conserva-
cionistas, o emprego de agrotóxicos,
e o impacto econômico ocasionado
por pragas e doenças, precisamos
analisar a utilização de insumos e a
influência causada por eles nos re-
sultados obtidos pelo modelo agro-
pecuário nacional”.
Entre os convidados estavam
o coordenador de agroecologia do
Ministério da Agricultura, Rogério
Dias, o representante da Confede-
ração da Agricultura e Pecuária do
Brasil (CNA) Décio Coutinho e o
presidente do Conselho Federal de
engenharia e Agronomia (CON-
FEA), José Tadeu da Silva.
“Precisamos debater as práticas
conservacionistas, o emprego de
agrotóxicos, e o impacto
econômico ocasionado por pragas
e doenças, precisamos analisar a
utilização de insumos e a
influência causada por eles nos
resultados obtidos pelo modelo
agropecuário nacional” –
salientou o parlamentar.
Atletas mourãoenses são destaques
na V Copa Cianorte de Ciclismo
A equipe de ciclismo mourão-
ense PC Adventure Cycling Team/
FECAM foi destaque da V Copa Ci-
anorte de Ciclismo. O atleta Hum-
berto Ferraz venceu a prova na ca-
tegoria sub-30 e ficou em quarto lu-
gar na categoria Elite. Já a atleta
Andheara de Lima faturou o título
na Elite feminino.Também foram
destaques os atletas Thiago Ferrei-
ra conquistando o quarto lugar na
Sub. 30; Ozias Vidal Junior ficou com
o sexto lugar na Estreantes e Julia-
no Lima concluiu a prova na Elite.
Acompanhada do Secretário de
Esportes Carlos Gabriel Zanata a
prefeita Regina Dubay recebeu o
atleta Humberto Ferraz no gabinete
na manhã desta quinta-feira. Na
oportunidade a prefeita parabenizou
Humberto e toda a equipe pelos ex-
celentes resultados na prova de Cia-
norte. O atleta Humberto Ferraz
O município de Ran-
cho Alegre D’Oeste recebeu
na última quinta-feira, uma
série de materiais esportivos,
viabilizados pelo deputado e
secretário de Esportes do
Paraná, Douglas Fabrício. A
entrega dos materiais contou
com a participação de várias
autoridades, entre elas, da
prefeita Suely da Silva. Du-
rante a sua fala, o secretário
falou da política de incre-
mento ao esporte, adotada
pelo governo estadual, com o objeti-
vo de incentivas os municípios a des-
cobrirem novos talentos.
“O governo do Paraná está in-
vestindo pesado no esporte e o re-
sultado disso também são estes ma-
teriais”, disse. Douglas Fabrício lem-
brou que o investimento em materi-
ais esportivos é apenas um dos as-
pectos dos programas desenvolvidos
pelo governo estadual. “O governa-
dor Beto Richa nos motivou a fazer
um investimento no esporte em to-
dos os municípios. O esporte é exe-
cutado com material esportivo, daí
a razão desse repasse”, disse.
Por sua vez, a prefeita Suely
agradeceu o repasse dos materiais
e disse que seu município tem sido
destaque no cenário esportivo e
que os materiais recebidos vão
contribuir muito para que a pre-
feitura possa dar um apoio ainda
maior aos atletas locais, sobretu-
do aos estudantes. Ainda estive-
ram presentes na entrega dos ma-
teriais, vereadores, lideranças co-
munitárias e gente do comércio.
“Ao deputado Douglas, nossos
agradecimentos. A gente está fe-
liz por esta conquista”, disse a pre-
feita.
(Fonte: Gazeta Regional)
Durante a sua fala, o
secretário falou da
política de
incremento ao
esporte, adotada
pelo governo
estadual, com o
objetivo de
incentivas os
municípios a
descobrirem novos
talentos
RanchoAlegre recebe material
esportivo do governo estadual
conta com o apoio das empresas Fa-
vorita, Projecta, Biga Gas, Paraná
Sul Transportes, Agro Alfa, Tintas
Brasil, Casas de Carnes Marchioro,
Gelo Sapeca, Granja Faria, Car
House Motors, PC Adventure,
Francisco Reigota.
Na oportunidade a
prefeita parabenizou
Humberto e toda a equipe
pelos excelentes resultados
na prova de Cianorte
& FatosPolíticaFaltam 99 dias para as próximas eleições...
Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Página 03PARANÁ NOTÍCIAS
PTBdefine apoio à
pré-candidata Suely
O encontro aconteceu na residência do senhor
Sebastião ‘Amendoim’
O empresário rural
Adelino Mourão (PTB)
disse que se o nome
dele for avaliado de
forma positiva, estará
à disposição para
ajudar no que for
preciso, tanto como
possível candidato a
vice ou apenas como
um apoiador
Em Rancho Alegre
D’Oeste, o PTB, depois de
ouvir a comissão provisó-
ria do partido e também
todos os pré-candidatos a
vereadores, optou por
apoiar o projeto que envol-
ve a atual prefeita e pré-
candidata a reeleição Sue-
ly Alves Pereira da Silva
(PMDB).
Na última semana, o
empresário rural Adelino
Mourão se reuniu com li-
deranças políticas aliadas
ao grupo da pré-candida-
ta Suely, onde na oportu-
nidade, consolidou o apoio
do partido para a próxima
eleição. O Partido Traba-
lhista Brasileiro deverá ter
pelo menos quatro candi-
datos a vereadores e pode-
rá também indicar o can-
didato à vice. No grupo, o
nome de consenso é do
próprio Adelino Mourão,
que já foi vereador (97/
2000).
O empresário rural
Adelino Mourão disse que
se o nome dele for avalia-
do de forma positiva, esta-
rá à disposição para ajudar
no que for preciso, tanto
como possível candidato a
vice ou apenas como um
apoiador.
“Ainda é cedo para fa-
zermos alguma definição,
estamos acompanhando o
andamento das conversas e
no momento certo vamos
definir nossa participação
na política”, disse Mourão.
Para o presidente do
partido, Claudinho Cruz,
todas as etapas propostas
inicialmente foram cumpri-
das. “Ouvimos todos os pré-
candidatos a prefeito, con-
versamos sobre as possibi-
lidades de coligação e fize-
mos uma sondagem eleito-
ral para avaliar o cenário e
decidir o melhor caminho”,
disse ele – lembrando que a
escolha foi feita pela a mai-
oria dos pré-candidatos.
“A decisão do grupo é
soberana e estarei junto com
eles, ajudando na coordena-
ção”, afirmou Claudinho.
Novas adesões -
Além do PTB, o PP que
tem o Chefe da Emater,
Paulo Barbosa, como presi-
dente, deverá reiterar apoio
a Suely. Segundo a pré-can-
didata a chegada desses no-
vos aliados reforça ainda
mais o grupo que já está
consolidado. “Em breve ire-
mos anunciar mais partidos,
estamos trabalhando para
isso”, afirmou Suely.
Além do PMDB da
pré-candidata, ainda fazem
parte do grupo: DEM,
PSD, PSC, PT e agora o
PTB. A expectativa do gru-
po é fechar duas coligações,
totalizando 25 candidatos a
vereadores.
Nem a chuva impediu que o Betinho Lima, desse continuidade à
sua agenda de visitas. Na segunda, 20, ele esteve na AgroVila. Todos os
moradores do bairro receberam Betinho de portas abertas. Na noite de quarta, 22, o pré-candidato a prefeito pelo PSD
recebeu no Diretório do partido o pastor Luiz Henrique para um culto.
“Só tenho a agradecer a noite abençoada que o pastor Luiz
Henrique nos proporcionou, agradeço também a todos que
estiveram presentes neste culto iluminado”, declarou Betinho.
E, dando continuidade ao PSD no Bairro, na quinta-feira, 23,
Betinho reuniu mais de 50 moradores do Jardim Tropical. Os moradores
relataram problemas referentes ao asfaltamento do bairro, falta de áreas
de lazer para crianças, jovens e adultos, saúde e emprego.
“É preciso ouvir a população para que possamos traçar soluções
reais, somente os moradores de cada bairro podem falar com
propriedade sobre o que eles realmente necessitam”, afirmou Betinho.
O pré-candidato a prefeito de Goioerê, pelo
PSD, Betinho Lima, segue firme em seu
propósito de ouvir a população
De segunda a sábado R$ 15,00 - Domingos e feriados R$ 17,00 - Marmitex pequena
R$ 7,50 - Média R$ 10,00 - Grande R$ 12,00
Rua Santa Catarina, 2120 - Centro - Campo Mourão PR Fone: (44) 3017-1141
Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016
O restaurante do Moacir, localizado na área central de Campo Mourão, vem
se tornando ponto de encontro de pessoas de toda região. A passeio ou a
trabalho, muitas pessoas tem preferido o restaurante para fazer uma
saborosa refeição. Com preços acessíveis e uma ótima qualidade, o
restaurante já virou referência na região da Comcam.
PARANÁ NOTÍCIASGovernoPágina 04
Apesar da crise eco-
nômica nacional, que deixa
estados e municípios brasi-
leiros em situação falimen-
tar, o Governo do Paraná
consegue reajustar o salá-
rio dos servidores e pagar
rigorosamente em dia a fo-
lha de pessoal. Na próxima
semana, será depositado o
salário referente ao mês de
junho. O montante chega a
mais de R$ 1,6 bilhão para
os 305 mil cargos ativos,
para aposentados e pensio-
nistas. A injeção deste vo-
lume de recursos se reflete
positivamente nos setores
do comércio e serviços.
Além do pagamento
em dia, o Governo do Pa-
“Temos uma situação relativamente confortável, e
incomparavelmente melhor que a dos demais estados,
porque nos preparamos para isso”, diz ele, ao assinalar
que o Paraná fez um ajuste de contas que assegurou
equilíbrio fiscal e a recomposição da capacidade de
investimentos estaduais.
Ao contrário de outros estados, Paraná paga em dia salário dos servidores
Apesar da crise econômica nacional, que deixa estados e municípios brasileiros em situação falimentar, o Governo do Paraná
consegue reajustar o salário dos servidores e pagar rigorosamente em dia a folha de pessoal
A conta de luz dos
paranaenses permanecerá
com a bandeira tarifária
verde ao longo de julho.
Isso significa que não have-
rá cobrança extra na conta
As bandeiras têm como objetivo sinalizar ao
consumidor se o custo da geração de energia no País
está mais caro, ajudando as pessoas a consumirem
com racionalidade e economizarem na conta de luz
Com bandeira verde em julho, redução na conta
de luz chega a 21,5% em 2016
de energia, o que acontece
quando a bandeira indicada
é amarela ou vermelha.
Desde abril, a Copel
aplica a bandeira tarifária
verde. Julho será o quarto
mês seguido sem a cobran-
ça extra na conta de ener-
gia. De janeiro a abril – mês
em que a bandeira sem taxa
extra foi aplicada pela pri-
meira vez –, houve uma re-
dução, em média, de 7,2% na
conta de luz. Com a redu-
ção de 14,3% da tarifa resi-
dencial da Copel em junho,
a queda acumulada em 2016
soma 21,5%.
Os consumidores de-
vem começar a essa redução
em sua totalidade no início
de agosto. A alteração da cor
da bandeira em abril acon-
teceu em decorrência do au-
mento do nível dos reserva-
tórios das usinas hidrelétri-
cas de todo o País.
A definição da bandei-
ra verde para julho foi divul-
gada pela Agência Nacional
de Energia Elétrica (Aneel)
na sexta-feira (24) e vale
para todo o País até o dia 31
de julho. Na prática, os con-
sumidores deixaram de pa-
gar uma taxa extra, que va-
riava de R$ 4,50 a cada 100
kWh consumidos (bandeira
vermelha) ou de R$ 1,50
(bandeira amarela).
SISTEMA - O siste-
ma de bandeiras tarifárias
começou a vigorar em janei-
ro de 2015 para compensar
raná foi um dos poucos que
concedeu reposição integral
da inflação no reajuste dos
vencimentos do funcionalis-
mo. O reajuste foi de
10,67% para servidores ati-
vos e inativos e pensionis-
tas do Poder Executivo. Em
2015, o governo ainda an-
tecipou o pagamento do dé-
cimo terceiro salário. “Es-
tamos cumprindo com o
nosso dever. Mas é impor-
tante lembrar que a crise
econômica nacional atingiu
tal gravidade que muitos
estados atrasaram o paga-
mento dos salários e alguns
ainda nem concluíram o
pagamento do 13º”, afirma
o governador Beto Richa.
PREPARADOS -
Richa lembra que a crise
reduziu drasticamente a
arrecadação da União, dos
estados e dos municípios,
com grande prejuízo para
a qualidade dos serviços
públicos prestados aos ci-
dadãos. “Temos uma situ-
ação relativamente confor-
tável, e incomparavelmen-
te melhor que a dos demais
estados, porque nos prepa-
ramos para isso”, diz ele,
ao assinalar que o Paraná
fez um ajuste de contas
que assegurou equilíbrio
fiscal e a recomposição da
capacidade de investimen-
tos estaduais.
Graças ao ajuste fis-
cal, os repasses do Gover-
no do Estado para os mu-
nicípios teve um forte incre-
mento a partir de 2015, o
que compensou, ao menos
parcialmente, a substancial
queda das transferências
federais às prefeituras para-
naenses.
COMPARATIVO -
O pagamento em dia e os
reajustes não ocorrem em
estados maiores ou aqueles
de mesmo porte do Paraná,
que no último ano conquis-
tou o posto de quarta eco-
nomia brasileira. O Estado
do Rio Grande do Sul, por
exemplo, pelo quinto mês
consecutivo irá parcelar os
salários dos servidores de
várias categorias que ga-
nham acima de R$ 3,5 mil.
Hoje como quinta economia
brasileira, o governo gaú-
cho sequer repôs a inflação
nos salários dos seus funci-
onários. O valor liquido da
folha salarial do RS é de R$
1,181 bilhão.
“Sem dúvida, o Esta-
do vive uma situação bem
diferenciada em relação aos
outros Estados. Além con-
ceder reajuste salarial aos
servidores, tem ampliado os
serviços e os investimentos,
para também beneficiar a
população que aqui vive”,
afirma o secretário da Fa-
zenda do Paraná, Mauro
Ricardo Costa.
Na segunda maior
economia brasileira, o Rio
de Janeiro, a situação finan-
ceira é ainda mais séria. Os
servidos tiveram o 13º sa-
lário dividido em cinco par-
celas e o pagamento dos sa-
lários adiados do 2º para o
10º dia útil. Em maio, os
salários foram divididos em
duas parcelas. Até agora so-
mente a primeira foi paga.
Com essa situação, o
governo do Rio de Janeiro
decretou estado de calami-
dade financeira. Na semana
passada, o Governo Federal
anunciou o repasse emer-
gencial de R$ 2,9 bilhões
para socorrer o estado. O
montante só poderá ser
aplicado para garantir a se-
gurança dos Jogos Olímpi-
cos. A mesma situação ocor-
re em Minas Gerais, estado
com terceira maior econo-
mia nacional. Os servidores
mineiros estão desde mar-
ço recebendo os salários de
forma parcelada.
AJUSTE FISCAL
– O bom desempenho finan-
ceiro do Paraná é atribuído
ao ajuste fiscal que o gover-
no estadual fez antes do
agravamento da crise. Com
as medidas, tomadas a par-
tir de dezembro de 2014,
afirma Richa, o governo es-
tadual conseguiu aumentar
as receitas tributárias e re-
duzir as despesas.
Como por exemplo, a
redução de cinco secretarias
e extinção de mil cargos em
comissão. Além da redução
de despesas, o Paraná teve
que aumentar as receitas.
Paraisso,foinecessárioequi-
pararasalíquotasinternasdo
ICMSedoIPVAcomaspra-
ticadas nos demais estados.
Enquanto a maior
parte dos Estados de gran-
de porte corta investimen-
tos, apenas Paraná e Bahia
investem em 2016 mais que
em 2015. O Paraná prevê
fechar o ano com investi-
mentos de cerca de R$ 8 bi-
lhões, um dos maiores do
Brasil.
o baixo nível dos reservató-
rios das hidrelétricas e cus-
tear o acionamento das usi-
nas termelétricas, cuja pro-
dução é mais cara.
Essa foi a saída encon-
tradaparaadaptargastosex-
tras às tarifas de energia pa-
gas pelos consumidores. As
cores das bandeiras (verde,
amarela ou vermelha) indi-
camseaenergiacustarámais
oumenosemfunçãodascon-
diçõesdegeraçãodeeletrici-
dade.
Asbandeirastêmcomo
objetivosinalizaraoconsumi-
dor se o custo da geração de
energianoPaísestámaiscaro,
ajudando as pessoas a consu-
mirem com racionalidade e
economizarem na conta de
luz. Além disso, a cobrança
contribui para diluir, mês a
mês, o custo adicional da gera-
ção térmica.
Governo Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Página 05PARANÁ NOTÍCIAS
Mulheres aumentam participação no
mercado de trabalho no PR
A participação da
mulher no mercado de tra-
balho do Paraná vem cres-
cendo. Em 2010, 43% da
força de trabalho emprega-
da nas empresas no Estado
era formada por mulheres.
Em 2014, esse porcentual
estava em 45%, mostram
dados do Cadastro Central
de Empresas (Cempre), di-
vulgado pelo Instituto Bra-
sileiro de Geografia e Esta-
tística (IBGE). Havia 1,09
milhão de mulheres empre-
gadas assalariadas no Para-
ná em 2010. Em 2014, esse
número alcançou 1,31 mi-
lhão, uma evolução de 20%.
O diretor presidente
do Instituto Paranaense de
Desenvolvimento Econô-
mico Social (Ipardes), Júlio
Suzuki Júnior, afirma que,
aos poucos, a maior propor-
ção de mulheres no total da
população, começa a se re-
produzir também no mer-
cado de trabalho. “Isso se dá
com mais presença no mer-
cado e, também, com a di-
minuição da diferença de
salários em relação aos ho-
mens”, diz ele.
MAIOR ESCOLA-
RIDADE – Conforme os
dados do Cempre, as mulhe-
res têm hoje mais anos de
estudo do que os homens.
Além disso, segundo Suzuki
Júnior, o momento positivo
da economia vivido pelo
Estado entre 2010 e 2014
ajuda a explicar esse cres-
cimento. “É preciso lem-
brar, por exemplo, que, nes-
se período, o Paraná cres-
ceu acima da média brasi-
leira e se tornou a quarta
maior economia do Brasil.
E o desempenho da econo-
mia tem reflexo direto so-
bre o emprego”, afirma ele.
MÉDIA - O avanço
das mulheres no mercado
de trabalho paranaense su-
pera o crescimento brasilei-
ro, de 16% no período. En-
tre 2010 e 2014, o número
de mulheres no mercado
nacional evoluiu de R$ 18,1
milhões para 20,9 milhões
de mulheres.
As mulheres ainda re-
cebem menos do que os ho-
mens. A diferença, contudo,
vem caindo nos últimos
anos.
De acordo com o
IBGE, em termos salariais,
em 2014, os homens rece-
beram, em média, R$
2.521,07 e as mulheres, R$
2.016,63. Ou seja, o salário
das mulheres era equivalen-
te a 80,0% do salário dos
homens. A diferença entre
os salários caiu de 25,3 %
em 2012 para 25% em 2014.
Paraná foi o que
mais aumentou número
assalariados
Graças ao desempe-
nho da sua economia, o Pa-
raná também foi o que mais
aumentou o número de em-
pregados assalariados entre
2010 e 2014, entre os Esta-
dos do Sul e do Sudeste, de
acordo com o IBGE. O nú-
mero passou de 2,52 mi-
lhões para 2,92 milhões de
pessoas, crescimento de
15,8% no período.
São Paulo registrou
um aumento de 11,6%, San-
ta Catarina (14,1%), Rio
Grande do Sul (12,3%), Rio
de Janeiro (4,7%), Espírito
Santo (11,9%) e Minas Ge-
rais (10,3%).
Suzuki Júnior lembra
que o desempenho da eco-
nomia do Paraná foi supe-
rior à da brasileira nesse
período, impulsionada pela
agropecuária, pela indústria
automotiva e pelo setor de
serviços. Um levantamento
Ipardes com base no índice
de atividade econômica di-
vulgado pelo Banco Central
mostra que entre 2011 e
2014 o Paraná cresceu, em
média, 2,94% ao ano. O Bra-
sil, no mesmo período,
avançou 1,74%.
Além de boas safras
agrícolas e do crescimento
do setor de carnes, a indús-
tria de transformação, pu-
xada pelo setor automotivo,
cresceu embalada pelo cré-
dito e pelo avanço do con-
sumo. O aumento da massa
salarial também impulsio-
nou o crescimento do setor
de serviços.
“Foi a partir de 2014,
quando a conta chegou e a
economia brasileira entrou
em desaceleração, que hou-
ve piora de alguns indica-
dores”, diz Suzuki Júnior. A
pesquisa do IBGE mostra
queda no número de empre-
sas ativas por conta crise.
Em 2014, o Paraná tinha
448, 2 mil empresas ativas,
o que representou um recuo
de 3% sobre os números de
2013. O recuo, no entanto,
ainda é menor do que a
ocorrida no Brasil, cuja que-
da no número de empresas
ativas foi de 5,4%, para 5,1
milhões no País.
As mulheres ainda
recebem menos do
que os homens. A
diferença, contudo,
vem caindo nos
últimos anos
O Departamento
Estadual do Trabalho da Se-
cretaria de Estado da Justi-
ça, Trabalho e Direitos Hu-
manos promoveu nesta sex-
ta-feira, encontro regional
com os gerentes das 24
AgênciasdosTrabalhadores
de Curitiba e Região Metro-
politana. O encontro serviu
para alinhar ações que for-
taleçam a política do traba-
lho, emprego e renda e me-
lhorem o atendimento ao
trabalhador nas agências.
Ampliar o atendi-
mento e padronizar os
agendamentos pela internet
foram temas discutidos. Se-
Gerentes discutem melhorias no atendimento
dasAgências do Trabalhador
Ampliar o
atendimento e
padronizar os
agendamentos
pela internet
foram temas
discutidos
Curso ensina policiais a trabalhar com
cães de faroA Companhia de Operações
com Cães do Batalhão de Operações
Especiais (Bope) promoveu em parce-
ria com a Universidade Federal do
Paraná (UFPR) um curso de capacita-
ção para policiais que trabalham com
cães de faro. As aulas começaram na
terça-feira (21) e terminaram nesta
sexta-feira, 24, com a participação de
policiais militares do Bope, de Minas
Gerais, da Divisão Estadual de Nar-
cóticos (Denarc), do Corpo de Bom-
beiros de Santa Catarina e profissio-
nais da Argentina.
No curso são analisadas situa-
ções para potencializar o treinamento
do animal usado na busca de pessoas,
na detecção de narcóticos ou de explo-
sivos. “É a primeira vez que uma ativi-
dade voltada para este tema ocorre no
Brasil. Com o curso, os policiais pode-
rão trabalhar com o cachorro na bus-
ca de provas que podem ser usadas
na condenação de um criminoso”, ex-
plica o comandante da Companhia de
Operações com Cães, capitão Paulo
Renato Aparecido Siloto.
O evento teve a participação do
argentino Mário Rosillo, perito judi-
cial, médico veterinário e integrante
do Ministério de Segurança da Ar-
gentina, e da pesquisadora e perita ju-
dicial Jackeline Rachel.
RESULTADOS - Para o cabo
Jaime Domingos de Paula, que há 17
anos integra a Companhia de Opera-
ções com Cães, o curso trouxe infor-
mações para as diferentes áreas de
atuação com os cães de faro. “Adqui-
rimos conhecimentos novos que, bem
direcionados, ajudarão a melhorar os
resultados positivos que já temos”,
afirmou Jaime.
Muitos dos alunos vieram de
outros estados e não são militares,
mas trabalham na área de pesquisa e
desenvolvimento de projetos voltados
para o faro do cão. “Essa é uma área
muito nova no Brasil”, conta Andres
Coelho, de Minas Gerais, que é mé-
dico veterinário e trabalha com trei-
namento de cães.
gundo o diretor-geral da
secretaria, Hatsuo Fukuda,
o planejamento e o fortale-
cimento das ações voltadas
às políticas do trabalho são
prioridades para levar ao ci-
dadão à garantia de seus di-
reitos. “Os encontros são
uma oportunidade para a
troca de informações e de
ideias, visando o melhor de-
sempenho dessas políticas
para todos”, disse Fukuda.
O diretor do Depar-
tamento do Trabalho, Jor-
ge Leonel, disse que o Es-
tado age em conjunto com
os municípios para atender
os cidadãos que solicitam
benefícios como o seguro-
desemprego. “Estamos tra-
balhando para um atendi-
mento unificado em todo o
Estado, de tal forma que o
trabalhador possa dar en-
trada em seu benefício em
qualquer agência, sem so-
brecarregar demais os pos-
tos de atendimento”, expli-
cou ele. O Paraná é o Esta-
do com o maior número de
Agências do Trabalhador.
São 220 unidades.
No curso são
analisadas situações
para potencializar o
treinamento do
animal usado na
busca de pessoas,
na detecção de
narcóticos ou de
explosivos
Página 06 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 PARANÁ NOTÍCIAS
“Nos quais o deus (Sa-
tanás) deste século cegou os en-
tendimentos dos incrédulos,
para que não lhes resplandeça
a luz do evangelho da glória
de Cristo, que é a imagem de
Deus”. (2 Coríntios 4: 4)
A desobediência, o
amorpelopecado,eomautes-
temunho,sãofatoresdecisivos
na vida de uma pessoa, foi as-
sim desde o começo dos tem-
pos e continuará assim por-
que Satanás não desiste de
influenciar as pessoas.
Vamos ver duas clas-
ses de pessoas, os humildes
e os soberbos, enquanto os
humildes que temem a
Deus e resistem às investi-
das do nosso adversário, de
outro lado, os soberbos se
distanciam cada vez mais
do Senhor e caem na sua
própria altivez.
Acontece que muitas
pessoas querem Deus, en-
tendem que Ele é o Cria-
dor de tudo e de todos, des-
de a prostituta ao bandido
mais perigoso sabem que
Deus existe.
Masporqueessaspes-
soas não conseguem largar
os seus maus caminhos?
Desde o começo da
humanidade o ser humano
quer andar sozinho, essa au-
toconfiança gera uma so-
berba e arrogância que re-
sulta em desobediência e o
afasta de Deus, abrindo en-
tão espaço para o adversá-
rio tomar conta da sua vida
e o colocando como escra-
vo do pecado, Deus então,
fica impedido de trabalhar
em sua vida.
“Deus resiste aos sober-
bos, dá, porém, graça aos hu-
mildes”. (Tiago 4: 6b)
Soberba: Soberba é o
sentimento negativo carac-
terizado pela pretensão de
superioridade sobre as de-
mais pessoas, levando-as em
manifestações ostensivas de
arrogância, por vezes sem
fundamento algum em fatos
ou variáveis reais.
Humildade: Humildade vem
do Latim humus que signi-
fica “filhos da terra”. Refe-
re-se à qualidade daqueles
que não tentam se projetar
sobre as outras pessoas...
De certa forma, nós
também somos iguais. Por
desobediência, brincamos
com as coisas de Deus e nos
deixamos levar pelas coisas
do mundo. Sofremos uma
grande atração pelas coisas
domundo,eomundovaiaos
prendendo cada vez com
correntes mais grossas em
troncos mais fortes.
“Ninguém vos engane
com palavras vãs; porque, por
essas coisas, vem a ira de Deus
sobre os filhos da desobediên-
cia.” (Efésios 5:6)
“..Nos quais andastes
outrora, segundo o curso deste
mundo, segundo o príncipe da
potestade do ar, do espírito que
agora atua nos filhos da deso-
bediência”; (Efésios 2:2)
Um exemplo de de-
sobediência:
O livro de Gênesis
19:17, um anjo enviado do
Senhor diz a Ló:
“Livra-te, salva a tua
vida; não olhes para trás, nem
pares em toda a campina; foge
para o monte, para que não pe-
reças ....Então, fez o SE-
NHOR chover enxofre e fogo,
da parte do SENHOR, sobre
Sodoma e Gomorra. E subver-
teu aquelas cidades, e toda a
campina, e todos os moradores
das cidades, e o que nascia na
terra. E a mulher de Ló olhou
para trás e converteu-se numa
estátua de sal.” (Gênesis
19.24-26).
Ora, aí se enquadram
duas situações muito delica-
das: a falta de temor e a de-
sobediência da mulher de
Ló. Ela olhou para trás, viu
as chamas e a lama que fi-
cou, mas não foi capaz de
prosseguir com sua família.
A Bíblia não relata
exatamente o que se passou
no coração daquela mulher
para que ela desobedecesse
ao pedido de um anjo de
Deus.Umacoisa,porém,fica
fácil de concluir: talvez ela
estivesse apegada às coisas
materiais e não quisesse dei-
xar os seus bens para trás.
Triste fim da mulher de Ló.
Acabou ficando também
para trás.
Nos dias de hoje, tam-
bém podemos pegar a lição
dessa mulher como exem-
plo e aprender muito. Não
se pode avançar enquanto o
coração estiver preso a al-
guma coisa.
Aquela mulher não
soube valorizar o “novo” de
Deus em sua vida. Ela não
pensouemnenhummomen-
to que o lugar para onde
Deus estava levando a sua
família era um lugar de li-
vramento.
Muitas pessoas tanto
homens quanto mulheres
hoje agem assim como a
mulher de Ló. Deus está li-
vrando de uma situação em-
baraçosa ou até mesmo de
um perigo e ela insiste na-
quele ponto, contra a vonta-
de de Deus.
Em todas as situações
de nossa vida devemos estar
em vigilância, seja na famí-
lia na sociedade, no nosso
trabalho, nas finanças e até
mesmo dentro da igreja, es-
tar atento à voz de Deus é
fundamental para sabermos
em quais caminhos devemos
andar.
Um exemplo de ar-
rogância:
BABEL: (segundo
Aurélio) confusão de vozes
ou línguas.
Desordem, confusão, bal-
búrdia. Em Hebraico Porta
de Deus.
“Ora, toda a terra tinha
uma só língua e um só idioma.
Deslocando-se os homens para o
Oriente,acharamumvalenater-
radeSinar,ealihabitaram.Dis-
seram uns aos outros: Eia pois,
façamos tijolos, e queimemo-los
bem. Os tijolos lhes serviram de
pedras e o betume por cal.
Disseram mais: edifi-
quemos para nós uma cidade e
uma torre cujo cume toque no
céu e façamo-nos, um nome,
para que não sejamos espalha-
dos sobre a face de toda a terra.
EntãodesceuoSenhorparaver
a cidade e a torre que os filhos
dos homens edificavam e disse:
eis que o povo é um e todos têm
uma só língua; e isto é o que
começamafazer,agoranãoha-
verá restrição para tudo o que
eles intentarem a fazer.
Desçamos e confunda-
mos ali a sua linguagem para
que não entenda um a língua
do outro. Assim o Senhor os
espalhou dali sobre a face de
toda a terra; e cessaram de edi-
ficar a cidade. Por isso se cha-
mou o seu nome “BABEL”
porquanto ali confundiu o Se-
nhoralinguagemdetodaater-
ra, e dali o Senhor os espalhou
sobre a face de toda a terra.”
(Gênesis 11: 1-9)
Os homens começa-
ram a se achar iguais a Deus
e a Torre de Babel era para
chegar até Ele. Deus como
castigofezcomqueninguém
mais se entendesse forman-
do um verdadeiro caos, nin-
guém se entendia mais e não
falavam a mesma língua.
Como nos dias de hoje
muitas pessoas depositam
sua confiança no dinheiro e
na posição social, se tornan-
do arrogantes, soberbos e
presunçosos, esquecendo de
Deus, desprezando os cami-
nhos do Senhor, e caindo em
suas próprias armadilhas.
“A soberba precede à ru-
ína; e o orgulho, à queda.”
(Prov 16: 18)
Qual o efeito do mau
testemunho na sociedade?
Sem alongar a respos-
ta podemos dizer que é sim-
plesmente devastador. O
mau testemunho pode afas-
tar alguém de Deus quando
esse está querendo uma
aproximaçãoparaumenten-
dimento melhor.
Pode servir de pretex-
to para a pessoa não ir à
igreja, pois não quer ser
comparado com determina-
daspessoas.Portanto,aosir-
mãos que queiram fazer par-
te de uma congregação, que
sejam fiéis a Deus, e não de
maus exemplos!
“Quando a Deus fizeres
algum voto, não tardes em
cumpri-lo; porque não se agra-
dadetolos;oquevotares,paga-
o. Melhor é que não votes do
que votes e não pagues.” (Ecle-
siastes 5: 4-5)
Como uma pessoa
pode pregar o evangelho
para alguém, se ele mes-
mo não é cumpridor de
suas obrigações?
Quando
uma pessoa que está em pro-
cesso de conversão, e está
ouvindo falar das coisas de
Deus, ela fica atenta a tudo e
a todos que estão em sua
volta, então, pessoas arro-
gantes e soberbas “conven-
cidas” e não convertidas aca-
bam causando um estrago
tremendo no grande proje-
to de evangelização que Je-
sus deixou para nós fazer-
mos.
Sim! Para nós mesmos... Pra
mim, pra você, pra quem está
em sua volta. Quando Jesus
disseideportodomundoepre-
gai o evangelho, em Marcos
16: 15, Ele (Jesus) não estava
sereferindosimplesmenteaos
apóstolos, mas em todo aque-
le que crer.
Como deve se comportar
aquele que já recebeu os
ensinamentos da palavra
de Deus?
“Vocêssãoaluzdomun-
do. Não se pode esconder uma
cidade construída sobre um
monte. E, também, ninguém
acende uma candeia e a coloca
debaixo de uma vasilha. Ao
contrário, coloca-a no lugar
apropriado, e assim ilumina a
todos os que estão na casa. As-
sim brilhe a luz de vocês dian-
te dos homens, para que vejam
assuasboasobraseglorifiquem
ao Pai de vocês, que está nos
céus.” (Mateus 5: 14-16)
Nãopodemossimples-
mente reter para nós aquilo
que Deus nos tem feito, mas
antes fazer manifesto a todo
mundo, multiplicando a pa-
lavra de Deus com amor, e
simplicidade,dandobomtes-
temunho a todos que estão
em sua volta.
“E direis, naquele dia:
Daí graças ao SENHOR, in-
vocai o seu nome, tornai ma-
nifestos os seus feitos entre os
povos e contai quão grandioso
é o seu nome.” (Isaías 12: 4)
A essência desta res-
posta está em nosso objeti-
vo, no nosso alvo. Nós não
precisamos olhar a vida de
outras pessoas que se dizem
cristãos,nósprecisamossim,
é abrir nossos olhos e bus-
car a paz, a nossa salvação, e
da nossa família, e ainda,
pregar o evangelho para
aqueles que estão precisan-
do ouvir a palavra de Deus.
As pessoas não podem
cometerosmesmoerrosque
outros cometem, se algumas
pessoasnãodãoumbomtes-
temunho é um problema de-
las, se você der muito valor
a isso e resistir à palavra de
Deus, aí já passa a ser um
problema seu.
A igreja está cheia de
pessoas de todos os tipos,
pense bem, se fossem perfei-
tas não estariam lá! Nós so-
mos barro na mão do oleiro,
Deus não concerta, Ele que-
bra e nos faz de novo!
Na carta do apóstolo
Paulo aos Filipenses, ele es-
creve da seguinte maneira:
(Filipenses 3: 13-14)
“Irmãos, quanto a mim,
não julgo que o haja alcança-
do; mas uma coisa faço, e é que,
esquecendo-me das coisas que
atrás ficam, e avançando para
as que estão adiante, prossigo
para o alvo pelo prêmio da vo-
caçãocelestialdeDeusemCris-
to Jesus.
Pelo que todos quantos
somos perfeitos tenhamos este
sentimento; e, se sentis alguma
coisa de modo diverso, Deus
também vo-lo revelará.
Mas, naquela medida de per-
feição a que já chegamos, nela
prossigamos.
Irmãos, sede meus imi-
tadores, e atentai para aqueles
que andam conforme o exem-
plo que tendes em nós; porque
muitos há, dos
quais repeti-
das vezes vos
disse, e agora
vos digo até
chorando, que
são inimigos
da cruz de
Cristo; cujo
fim é a perdi-
ção; cujo deus
é o ventre; e
cuja glória
assenta no que
é vergonhoso;
cuidam das coisas terrenas.
Mas a nossa pátria está
nos céus, donde também aguar-
damos um Salvador, o Senhor
Jesus Cristo, que transformará
o corpo da nossa humilhação,
para ser conforme ao corpo da
sua glória, segundo o seu efi-
caz poder de até sujeitar a si
todas as coisas.”
Atenção especial em
algumas partes.
Esquecendo-me das
coisasqueatrásficam...pros-
sigo para o alvo pelo prêmio
da vocação celestial de Deus
em Cristo Jesus.
Veja bem, a partir do mo-
mento que você esta em
Cristo tudo o que está em
sua volta não tem sentido,
não temos que preocupar-
mos com as outras pessoas,
com que elas fazem ou dei-
xa de fazer, ou muito menos
com que elas falam.
Qual é o seu alvo, Je-
sus Cristo, ou uma socieda-
de corrompida com valores
distorcidos, que envergonha
o sacrifício que Jesus fez por
nós?
Mas, naquela medida
de perfeição a que já chega-
mos, nela prossigamos...
Retroceder diante da
palavra de Deus é o mesmo
que cair em um abismo. É o
que acontece com aqueles
tentam enganar a Deus.
“Este povo honra-me com os
lábios, mas o seu coração está
longe de mim”. (Marcos 7: 6)
A Deus ninguém en-
gana, com aparência então,
muito menos!
Religiosidade em ex-
cesso, fé e dignidade quase
nada!
Porque muitos há, dos
quais repetidas vezes vos disse,
e agora vos digo até chorando,
que são inimigos da cruz de
Cristo;cujofiméaperdição;cujo
deus é o ventre; e cuja glória as-
senta no que é vergonhoso; os
quais só cuidam das coisas ter-
renas. (Filipenses 3: 18-19)
Muito, mas muitos
mesmos, não vivem o que
pregam, está aí o tamanho
do abismo que essas pesso-
as criaram, se perderam em
seusdesejosesuasambições,
invalidando o sacrifício de
Jesus. (Texto extraído da
revista Olhar Cristão /
Claudinho Cruz)
Jornal lançará revista de
evangelização
O Jornal Paraná Notícias lançará no mês de agosto uma revista de evangelização, a ideia é reproduzir conteúdo semelhante à página
Olhar Cristão do próprio jornal. A revista, que também leva o nome Olhar Cristão, trará mensagens que abordam temas cruciais da vida do
ser humano, dando orientação à luz da Bíblia. Segundo o escritor Claudinho Cruz, os 2000 exemplares praticamente já estão encomendados
por várias igrejas que desejam repassar esse material de evangelização aos seus fiéis. O objetivo é fazer com que cada membro apresente
essa revista a uma pessoa que queira conhecer um pouco mais da palavra de Deus.
“Ao todo, serão 24 perguntas e respostas que serão divididos em três volumes. Sem exaltar ou menosprezar qualquer crença,
acreditamos que todos nós temos o mesmo objetivo, a salvação de nossos irmãos”, explicou. “Sabei que aquele que fizer converter um
pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.” (Tiago 5: 20)
Por que tantas pessoas resistem à
palavra de Deus?
PublicidadePARANÁ NOTÍCIAS Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Página 07
Página 08 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Especial PARANÁ NOTÍCIAS
O Governo Munici-
pal de Engenheiro Beltrão
fez na última semana a en-
trega de tatames, brinque-
dos, e livros infantis a todos
os seis Centros de Educa-
ção Infantil (CMEIs) do
município. Além dos mate-
riais escolares, os estabele-
cimentos de ensino foram
contemplados também com
a complementação na me-
renda e merenda especial.
Os produtos foram adquiridos com
recursos do Brasil Carinhoso, do Fundo
Nacional de Educação (FNDE)
Centros de Educação Infantil de
Engenheiro Beltrão recebem
materiais escolares
Os produtos foram adquiri-
dos com recursos do Brasil
Carinhoso, do Fundo Naci-
onal de Educação (FNDE).
De acordo com o se-
cretário da Educação e Cul-
tura do município, Daniel
Olegário, este é o segundo
ano consecutivo que a área
da educação de Engenhei-
ro Beltrão recebe esta ver-
ba, destinada exclusiva-
mente à Educação Infantil.
“Para que o municí-
pio receba os recursos é ne-
cessário que os pais façam
o cadastro para os alunos
novos ou o recadastramen-
to do NIS (Programa de
Integração Social) dos alu-
nos que já estavam matri-
culados em 2015”, explicou
o secretário. Ele acrescen-
tou que o cadastro deve ser
feito junto ao CRAS (Cen-
tros de Referência da As-
sistência Social) do muni-
cípio até o final deste mês.
Cultura em pauta -
Olegário participou também
na última quinta-feira de um
encontro em Paranavaí com
osecretárioEstadualdaCul-
tura,JoãoLuizFiani.Ostéc-
nicos do PAA/Mesa Brasil,
Claudemir Gomes de Melo
e Samuel Ramos Santos
Sousatambémestiveramno
encontro.
Naocasião,Fianifalou
sobre os investimentos des-
tinados a cultura no Estado
eabordousobrealgunspro-
gramas na área da cultura do
Estado como o Profice (Pro-
grama Estadual de Fomento
e Incentivo à Cultura), e al-
guns projetos como Incuba-
dora, Paraná Criativo, e
Agente de Leitura. “Duran-
te sua fala Fiani fez menção
ao interesse do Estado no
incentivo à cultura em to-
dos os municípios do Para-
ná”, comentou Olegário.

Weitere ähnliche Inhalte

Was ist angesagt?

Was ist angesagt? (20)

Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Paraná notícias
Paraná notíciasParaná notícias
Paraná notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 

Ähnlich wie Jornal Paraná Notícias

14a edição do Jornal Ação municipal
14a edição do Jornal Ação municipal14a edição do Jornal Ação municipal
14a edição do Jornal Ação municipal
Érika Souza
 

Ähnlich wie Jornal Paraná Notícias (20)

Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Jornal digital 16 02-18
Jornal digital 16 02-18Jornal digital 16 02-18
Jornal digital 16 02-18
 
Jornal digital 28 06-18
Jornal digital 28 06-18Jornal digital 28 06-18
Jornal digital 28 06-18
 
Jornal digital 03 04-18
Jornal digital 03 04-18Jornal digital 03 04-18
Jornal digital 03 04-18
 
Informativo de Mandato - Março/2014
Informativo de Mandato - Março/2014Informativo de Mandato - Março/2014
Informativo de Mandato - Março/2014
 
Jornal da FETAEP edição 109 - Junho de 2013
Jornal da FETAEP edição 109 - Junho de 2013Jornal da FETAEP edição 109 - Junho de 2013
Jornal da FETAEP edição 109 - Junho de 2013
 
Abril 2018
Abril 2018Abril 2018
Abril 2018
 
Litoral sul 08 09-13
Litoral sul 08 09-13Litoral sul 08 09-13
Litoral sul 08 09-13
 
Edição Jornal Correio Regional 11
Edição Jornal Correio Regional  11Edição Jornal Correio Regional  11
Edição Jornal Correio Regional 11
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Junho 2013
Junho 2013Junho 2013
Junho 2013
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Paraná Notícias
Paraná NotíciasParaná Notícias
Paraná Notícias
 
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná NotíciasJornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
 
Jornal da FETAEP - edição 142 - Outubro de 2016
Jornal da FETAEP - edição 142 - Outubro de 2016Jornal da FETAEP - edição 142 - Outubro de 2016
Jornal da FETAEP - edição 142 - Outubro de 2016
 
Balanço 2015 - Deputado Luiz Fernando Mainardi
Balanço 2015 - Deputado Luiz Fernando MainardiBalanço 2015 - Deputado Luiz Fernando Mainardi
Balanço 2015 - Deputado Luiz Fernando Mainardi
 
Pauta completa do grito da terra 2017
Pauta completa do grito da terra 2017Pauta completa do grito da terra 2017
Pauta completa do grito da terra 2017
 
Jornal digital 15 06-18
Jornal digital 15 06-18Jornal digital 15 06-18
Jornal digital 15 06-18
 
14a edição do Jornal Ação municipal
14a edição do Jornal Ação municipal14a edição do Jornal Ação municipal
14a edição do Jornal Ação municipal
 

Jornal Paraná Notícias

  • 1. "O coração do homem traça o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos.” (Provérbios 16: 9) Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Pág. 06 Pág. 07 O Jornal Paraná Notícias lançará no mês de agosto uma revista de evangelização, a ideia é reproduzir conteúdo semelhante à página Olhar Cristão do próprio jornal. Com bandeira verde em julho, redução na conta de luz chega a 21,5% em 2016 Centros de Educação Infantil de Engenheiro Beltrão recebem materiais escolares Pág. 03 Pág. 03 Ao contrário de outros estados, Paraná paga em dia salário dos servidores PTBdefineapoioàpré-candidataSuely Apesar da crise econômica nacional, que deixa estados e municípios brasileiros em situação falimentar, o Governo do Paraná consegue reajustar o salário dos servidores e pagar rigorosamente em dia a folha de pessoal. Na última semana, o empresário rural Adelino Mourão se reuniu com lideranças políticas aliadas ao grupo da pré-candidata Suely, onde na oportunidade, consolidou o apoio do partido para a próxima eleição. O pré-candidato a prefeito de Goioerê, pelo PSD, Betinho Lima, segue firme em seu propósito de ouvir a população Pág. 04 “É preciso ouvir a população para que possamos traçar soluções reais, somente os moradores de cada bairro podem falar com propriedade sobre o que eles realmente necessitam”, afirmou Betinho. A conta de luz dos paranaenses permanecerá com a bandeira tarifária verde ao longo de julho. Isso significa que não haverá cobrança extra na conta de energia, o que acontece quando a bandeira indicada é amarela ou vermelha. Pág. 08 Pág. 03 Pág. 04
  • 2. GeralPágina 02 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 PARANÁ NOTÍCIAS Deputado TiãoDeputado TiãoDeputado TiãoDeputado TiãoDeputado Tião MedeirMedeirMedeirMedeirMedeiros defos defos defos defos defendeendeendeendeende fffffederederederederederalização dealização dealização dealização dealização de UniUniUniUniUnivvvvvererererersidadessidadessidadessidadessidades EstaduaisEstaduaisEstaduaisEstaduaisEstaduais Em pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (21), o deputado Tião Medeiros (PTB) falou sobre pedido de federalização do ensino superior estadual do Paraná, protocolado por ele ao lado de outros deputados. A solicitação sugere que a União assuma, conforme determina a Constituição, o atendimento acadêmico realizado pelas Universidades Estaduais do Paraná. “Este pedido nasce da necessidade de se regularizar as obrigações constitucionais, pois esta lacuna tem um grande impacto financeiro nos cofres estaduais. É importante frisar que a solicitação não influencia na qualidade e gratuidade do ensino superior no Paraná”, afirmou o deputado. A Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicação da Assembleia Legislativa do Paraná, presidida pelo deputado estadual Tião Medeiros (PTB), realizou nesta segunda-feira (20) uma audiência com o diretor-presidente da Copel Telecom, Adir Hannouche. Hannouche apresentou informações sobre a prestação dos serviços da empresa em todo o Estado do Paraná. A reunião ocorreu no Auditório Legislativo da Assembleia e contou com a participação do diretor adjunto da Copel Telecom, Maurício Dayan Arbetman, e do vice- presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Hélio Bampi. De acordo com Tião Medeiros, a audiência serviu para que os deputados tivessem dados sobre os planos de expansão da Copel Telecom. A Copel Telecom é responsável pela implantação e distribuição da malha de fibra ótica no Estado. “Conhecer o trabalho desta empresa paranaense é importante para projetar o futuro, tanto no interior quanto em Curitiba”, explicou o deputado. Segundo o diretor-presidente da Copel Telecom, a empresa visa fomentar o desenvolvimento com programas como o Paraná Conectado. “No Paraná, mais de 60 municípios contam com a alta qualidade, estabilidade e velocidade de conexão da internet banda extra larga da Copel Telecom. E esse número só vai aumentar, já que os 399 municípios do Estado possuem a rede de fibra óptica da empresa, de ponta a ponta”, informou. Também participaram da reunião os deputados Márcio Pauliki, Wilmar Reichembach e Felipe Francischini. A comissão de Obras já realizou uma audiência semelhante com o diretor-presidente da Companhia Paranaense de Gás (Compagás), Fernando Ghinone. Ele apresentou informações sobre a prestação dos serviços de gás canalizado em todo o Estado do Paraná. Comissão deComissão deComissão deComissão deComissão de ObrObrObrObrObras Púbas Púbas Púbas Púbas Públicaslicaslicaslicaslicas,,,,, TTTTTrrrrransporansporansporansporansportes etes etes etes etes e Comunicação daComunicação daComunicação daComunicação daComunicação da AssembAssembAssembAssembAssembleia ouvleia ouvleia ouvleia ouvleia ouveeeee prprprprpresidente da Copelesidente da Copelesidente da Copelesidente da Copelesidente da Copel TTTTTelecomelecomelecomelecomelecom NISHIMORI PROPÕE DEBATE SOBREAPOLÍTICANACIONAL DE DEFESAVEGETAL Como relator da Comissão Especial de Defensivos Agrícolas, o deputado federal Luiz Nishimori (PR-PR) propôs 17 requerimentos para a comissão ouvir todo o seg- mento desde a indústria até o consu- midor final, e revela a importância dos trabalhos: “esta comissão é mui- to importante para nossa agricultu- ra e principalmente para o consumi- dor final, e para o sucesso da comis- são é necessário um debate amplo, que abranja todos os problemas e possíveis soluções para o segmento”. Para a próxima audiência Pú- blica o tema proposto é a política nacional de defesa vegetal, uma vez que o tema em questão engloba os marcos legais de sustentação do sis- tema de defesa, a vigilância sanitá- ria e suas ferramentas, a oferta de serviços e de soluções para a gestão de pragas e doenças, melhorias na política nacional de produtos fitos- sanitários, a oferta de laboratórios, a pertinência do receituário agronô- mico e a resistência adquirida de pragas e doenças a produtos fitos- sanitários. Segundo o parlamentar nesta audiência serão debatidas as possí- veis medidas a serem adotadas pelo Governo Federal para assegurar a sanidade vegetal brasileira, “preci- samos debater as práticas conserva- cionistas, o emprego de agrotóxicos, e o impacto econômico ocasionado por pragas e doenças, precisamos analisar a utilização de insumos e a influência causada por eles nos re- sultados obtidos pelo modelo agro- pecuário nacional”. Entre os convidados estavam o coordenador de agroecologia do Ministério da Agricultura, Rogério Dias, o representante da Confede- ração da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) Décio Coutinho e o presidente do Conselho Federal de engenharia e Agronomia (CON- FEA), José Tadeu da Silva. “Precisamos debater as práticas conservacionistas, o emprego de agrotóxicos, e o impacto econômico ocasionado por pragas e doenças, precisamos analisar a utilização de insumos e a influência causada por eles nos resultados obtidos pelo modelo agropecuário nacional” – salientou o parlamentar. Atletas mourãoenses são destaques na V Copa Cianorte de Ciclismo A equipe de ciclismo mourão- ense PC Adventure Cycling Team/ FECAM foi destaque da V Copa Ci- anorte de Ciclismo. O atleta Hum- berto Ferraz venceu a prova na ca- tegoria sub-30 e ficou em quarto lu- gar na categoria Elite. Já a atleta Andheara de Lima faturou o título na Elite feminino.Também foram destaques os atletas Thiago Ferrei- ra conquistando o quarto lugar na Sub. 30; Ozias Vidal Junior ficou com o sexto lugar na Estreantes e Julia- no Lima concluiu a prova na Elite. Acompanhada do Secretário de Esportes Carlos Gabriel Zanata a prefeita Regina Dubay recebeu o atleta Humberto Ferraz no gabinete na manhã desta quinta-feira. Na oportunidade a prefeita parabenizou Humberto e toda a equipe pelos ex- celentes resultados na prova de Cia- norte. O atleta Humberto Ferraz O município de Ran- cho Alegre D’Oeste recebeu na última quinta-feira, uma série de materiais esportivos, viabilizados pelo deputado e secretário de Esportes do Paraná, Douglas Fabrício. A entrega dos materiais contou com a participação de várias autoridades, entre elas, da prefeita Suely da Silva. Du- rante a sua fala, o secretário falou da política de incre- mento ao esporte, adotada pelo governo estadual, com o objeti- vo de incentivas os municípios a des- cobrirem novos talentos. “O governo do Paraná está in- vestindo pesado no esporte e o re- sultado disso também são estes ma- teriais”, disse. Douglas Fabrício lem- brou que o investimento em materi- ais esportivos é apenas um dos as- pectos dos programas desenvolvidos pelo governo estadual. “O governa- dor Beto Richa nos motivou a fazer um investimento no esporte em to- dos os municípios. O esporte é exe- cutado com material esportivo, daí a razão desse repasse”, disse. Por sua vez, a prefeita Suely agradeceu o repasse dos materiais e disse que seu município tem sido destaque no cenário esportivo e que os materiais recebidos vão contribuir muito para que a pre- feitura possa dar um apoio ainda maior aos atletas locais, sobretu- do aos estudantes. Ainda estive- ram presentes na entrega dos ma- teriais, vereadores, lideranças co- munitárias e gente do comércio. “Ao deputado Douglas, nossos agradecimentos. A gente está fe- liz por esta conquista”, disse a pre- feita. (Fonte: Gazeta Regional) Durante a sua fala, o secretário falou da política de incremento ao esporte, adotada pelo governo estadual, com o objetivo de incentivas os municípios a descobrirem novos talentos RanchoAlegre recebe material esportivo do governo estadual conta com o apoio das empresas Fa- vorita, Projecta, Biga Gas, Paraná Sul Transportes, Agro Alfa, Tintas Brasil, Casas de Carnes Marchioro, Gelo Sapeca, Granja Faria, Car House Motors, PC Adventure, Francisco Reigota. Na oportunidade a prefeita parabenizou Humberto e toda a equipe pelos excelentes resultados na prova de Cianorte
  • 3. & FatosPolíticaFaltam 99 dias para as próximas eleições... Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Página 03PARANÁ NOTÍCIAS PTBdefine apoio à pré-candidata Suely O encontro aconteceu na residência do senhor Sebastião ‘Amendoim’ O empresário rural Adelino Mourão (PTB) disse que se o nome dele for avaliado de forma positiva, estará à disposição para ajudar no que for preciso, tanto como possível candidato a vice ou apenas como um apoiador Em Rancho Alegre D’Oeste, o PTB, depois de ouvir a comissão provisó- ria do partido e também todos os pré-candidatos a vereadores, optou por apoiar o projeto que envol- ve a atual prefeita e pré- candidata a reeleição Sue- ly Alves Pereira da Silva (PMDB). Na última semana, o empresário rural Adelino Mourão se reuniu com li- deranças políticas aliadas ao grupo da pré-candida- ta Suely, onde na oportu- nidade, consolidou o apoio do partido para a próxima eleição. O Partido Traba- lhista Brasileiro deverá ter pelo menos quatro candi- datos a vereadores e pode- rá também indicar o can- didato à vice. No grupo, o nome de consenso é do próprio Adelino Mourão, que já foi vereador (97/ 2000). O empresário rural Adelino Mourão disse que se o nome dele for avalia- do de forma positiva, esta- rá à disposição para ajudar no que for preciso, tanto como possível candidato a vice ou apenas como um apoiador. “Ainda é cedo para fa- zermos alguma definição, estamos acompanhando o andamento das conversas e no momento certo vamos definir nossa participação na política”, disse Mourão. Para o presidente do partido, Claudinho Cruz, todas as etapas propostas inicialmente foram cumpri- das. “Ouvimos todos os pré- candidatos a prefeito, con- versamos sobre as possibi- lidades de coligação e fize- mos uma sondagem eleito- ral para avaliar o cenário e decidir o melhor caminho”, disse ele – lembrando que a escolha foi feita pela a mai- oria dos pré-candidatos. “A decisão do grupo é soberana e estarei junto com eles, ajudando na coordena- ção”, afirmou Claudinho. Novas adesões - Além do PTB, o PP que tem o Chefe da Emater, Paulo Barbosa, como presi- dente, deverá reiterar apoio a Suely. Segundo a pré-can- didata a chegada desses no- vos aliados reforça ainda mais o grupo que já está consolidado. “Em breve ire- mos anunciar mais partidos, estamos trabalhando para isso”, afirmou Suely. Além do PMDB da pré-candidata, ainda fazem parte do grupo: DEM, PSD, PSC, PT e agora o PTB. A expectativa do gru- po é fechar duas coligações, totalizando 25 candidatos a vereadores. Nem a chuva impediu que o Betinho Lima, desse continuidade à sua agenda de visitas. Na segunda, 20, ele esteve na AgroVila. Todos os moradores do bairro receberam Betinho de portas abertas. Na noite de quarta, 22, o pré-candidato a prefeito pelo PSD recebeu no Diretório do partido o pastor Luiz Henrique para um culto. “Só tenho a agradecer a noite abençoada que o pastor Luiz Henrique nos proporcionou, agradeço também a todos que estiveram presentes neste culto iluminado”, declarou Betinho. E, dando continuidade ao PSD no Bairro, na quinta-feira, 23, Betinho reuniu mais de 50 moradores do Jardim Tropical. Os moradores relataram problemas referentes ao asfaltamento do bairro, falta de áreas de lazer para crianças, jovens e adultos, saúde e emprego. “É preciso ouvir a população para que possamos traçar soluções reais, somente os moradores de cada bairro podem falar com propriedade sobre o que eles realmente necessitam”, afirmou Betinho. O pré-candidato a prefeito de Goioerê, pelo PSD, Betinho Lima, segue firme em seu propósito de ouvir a população
  • 4. De segunda a sábado R$ 15,00 - Domingos e feriados R$ 17,00 - Marmitex pequena R$ 7,50 - Média R$ 10,00 - Grande R$ 12,00 Rua Santa Catarina, 2120 - Centro - Campo Mourão PR Fone: (44) 3017-1141 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 O restaurante do Moacir, localizado na área central de Campo Mourão, vem se tornando ponto de encontro de pessoas de toda região. A passeio ou a trabalho, muitas pessoas tem preferido o restaurante para fazer uma saborosa refeição. Com preços acessíveis e uma ótima qualidade, o restaurante já virou referência na região da Comcam. PARANÁ NOTÍCIASGovernoPágina 04 Apesar da crise eco- nômica nacional, que deixa estados e municípios brasi- leiros em situação falimen- tar, o Governo do Paraná consegue reajustar o salá- rio dos servidores e pagar rigorosamente em dia a fo- lha de pessoal. Na próxima semana, será depositado o salário referente ao mês de junho. O montante chega a mais de R$ 1,6 bilhão para os 305 mil cargos ativos, para aposentados e pensio- nistas. A injeção deste vo- lume de recursos se reflete positivamente nos setores do comércio e serviços. Além do pagamento em dia, o Governo do Pa- “Temos uma situação relativamente confortável, e incomparavelmente melhor que a dos demais estados, porque nos preparamos para isso”, diz ele, ao assinalar que o Paraná fez um ajuste de contas que assegurou equilíbrio fiscal e a recomposição da capacidade de investimentos estaduais. Ao contrário de outros estados, Paraná paga em dia salário dos servidores Apesar da crise econômica nacional, que deixa estados e municípios brasileiros em situação falimentar, o Governo do Paraná consegue reajustar o salário dos servidores e pagar rigorosamente em dia a folha de pessoal A conta de luz dos paranaenses permanecerá com a bandeira tarifária verde ao longo de julho. Isso significa que não have- rá cobrança extra na conta As bandeiras têm como objetivo sinalizar ao consumidor se o custo da geração de energia no País está mais caro, ajudando as pessoas a consumirem com racionalidade e economizarem na conta de luz Com bandeira verde em julho, redução na conta de luz chega a 21,5% em 2016 de energia, o que acontece quando a bandeira indicada é amarela ou vermelha. Desde abril, a Copel aplica a bandeira tarifária verde. Julho será o quarto mês seguido sem a cobran- ça extra na conta de ener- gia. De janeiro a abril – mês em que a bandeira sem taxa extra foi aplicada pela pri- meira vez –, houve uma re- dução, em média, de 7,2% na conta de luz. Com a redu- ção de 14,3% da tarifa resi- dencial da Copel em junho, a queda acumulada em 2016 soma 21,5%. Os consumidores de- vem começar a essa redução em sua totalidade no início de agosto. A alteração da cor da bandeira em abril acon- teceu em decorrência do au- mento do nível dos reserva- tórios das usinas hidrelétri- cas de todo o País. A definição da bandei- ra verde para julho foi divul- gada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na sexta-feira (24) e vale para todo o País até o dia 31 de julho. Na prática, os con- sumidores deixaram de pa- gar uma taxa extra, que va- riava de R$ 4,50 a cada 100 kWh consumidos (bandeira vermelha) ou de R$ 1,50 (bandeira amarela). SISTEMA - O siste- ma de bandeiras tarifárias começou a vigorar em janei- ro de 2015 para compensar raná foi um dos poucos que concedeu reposição integral da inflação no reajuste dos vencimentos do funcionalis- mo. O reajuste foi de 10,67% para servidores ati- vos e inativos e pensionis- tas do Poder Executivo. Em 2015, o governo ainda an- tecipou o pagamento do dé- cimo terceiro salário. “Es- tamos cumprindo com o nosso dever. Mas é impor- tante lembrar que a crise econômica nacional atingiu tal gravidade que muitos estados atrasaram o paga- mento dos salários e alguns ainda nem concluíram o pagamento do 13º”, afirma o governador Beto Richa. PREPARADOS - Richa lembra que a crise reduziu drasticamente a arrecadação da União, dos estados e dos municípios, com grande prejuízo para a qualidade dos serviços públicos prestados aos ci- dadãos. “Temos uma situ- ação relativamente confor- tável, e incomparavelmen- te melhor que a dos demais estados, porque nos prepa- ramos para isso”, diz ele, ao assinalar que o Paraná fez um ajuste de contas que assegurou equilíbrio fiscal e a recomposição da capacidade de investimen- tos estaduais. Graças ao ajuste fis- cal, os repasses do Gover- no do Estado para os mu- nicípios teve um forte incre- mento a partir de 2015, o que compensou, ao menos parcialmente, a substancial queda das transferências federais às prefeituras para- naenses. COMPARATIVO - O pagamento em dia e os reajustes não ocorrem em estados maiores ou aqueles de mesmo porte do Paraná, que no último ano conquis- tou o posto de quarta eco- nomia brasileira. O Estado do Rio Grande do Sul, por exemplo, pelo quinto mês consecutivo irá parcelar os salários dos servidores de várias categorias que ga- nham acima de R$ 3,5 mil. Hoje como quinta economia brasileira, o governo gaú- cho sequer repôs a inflação nos salários dos seus funci- onários. O valor liquido da folha salarial do RS é de R$ 1,181 bilhão. “Sem dúvida, o Esta- do vive uma situação bem diferenciada em relação aos outros Estados. Além con- ceder reajuste salarial aos servidores, tem ampliado os serviços e os investimentos, para também beneficiar a população que aqui vive”, afirma o secretário da Fa- zenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa. Na segunda maior economia brasileira, o Rio de Janeiro, a situação finan- ceira é ainda mais séria. Os servidos tiveram o 13º sa- lário dividido em cinco par- celas e o pagamento dos sa- lários adiados do 2º para o 10º dia útil. Em maio, os salários foram divididos em duas parcelas. Até agora so- mente a primeira foi paga. Com essa situação, o governo do Rio de Janeiro decretou estado de calami- dade financeira. Na semana passada, o Governo Federal anunciou o repasse emer- gencial de R$ 2,9 bilhões para socorrer o estado. O montante só poderá ser aplicado para garantir a se- gurança dos Jogos Olímpi- cos. A mesma situação ocor- re em Minas Gerais, estado com terceira maior econo- mia nacional. Os servidores mineiros estão desde mar- ço recebendo os salários de forma parcelada. AJUSTE FISCAL – O bom desempenho finan- ceiro do Paraná é atribuído ao ajuste fiscal que o gover- no estadual fez antes do agravamento da crise. Com as medidas, tomadas a par- tir de dezembro de 2014, afirma Richa, o governo es- tadual conseguiu aumentar as receitas tributárias e re- duzir as despesas. Como por exemplo, a redução de cinco secretarias e extinção de mil cargos em comissão. Além da redução de despesas, o Paraná teve que aumentar as receitas. Paraisso,foinecessárioequi- pararasalíquotasinternasdo ICMSedoIPVAcomaspra- ticadas nos demais estados. Enquanto a maior parte dos Estados de gran- de porte corta investimen- tos, apenas Paraná e Bahia investem em 2016 mais que em 2015. O Paraná prevê fechar o ano com investi- mentos de cerca de R$ 8 bi- lhões, um dos maiores do Brasil. o baixo nível dos reservató- rios das hidrelétricas e cus- tear o acionamento das usi- nas termelétricas, cuja pro- dução é mais cara. Essa foi a saída encon- tradaparaadaptargastosex- tras às tarifas de energia pa- gas pelos consumidores. As cores das bandeiras (verde, amarela ou vermelha) indi- camseaenergiacustarámais oumenosemfunçãodascon- diçõesdegeraçãodeeletrici- dade. Asbandeirastêmcomo objetivosinalizaraoconsumi- dor se o custo da geração de energianoPaísestámaiscaro, ajudando as pessoas a consu- mirem com racionalidade e economizarem na conta de luz. Além disso, a cobrança contribui para diluir, mês a mês, o custo adicional da gera- ção térmica.
  • 5. Governo Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Página 05PARANÁ NOTÍCIAS Mulheres aumentam participação no mercado de trabalho no PR A participação da mulher no mercado de tra- balho do Paraná vem cres- cendo. Em 2010, 43% da força de trabalho emprega- da nas empresas no Estado era formada por mulheres. Em 2014, esse porcentual estava em 45%, mostram dados do Cadastro Central de Empresas (Cempre), di- vulgado pelo Instituto Bra- sileiro de Geografia e Esta- tística (IBGE). Havia 1,09 milhão de mulheres empre- gadas assalariadas no Para- ná em 2010. Em 2014, esse número alcançou 1,31 mi- lhão, uma evolução de 20%. O diretor presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econô- mico Social (Ipardes), Júlio Suzuki Júnior, afirma que, aos poucos, a maior propor- ção de mulheres no total da população, começa a se re- produzir também no mer- cado de trabalho. “Isso se dá com mais presença no mer- cado e, também, com a di- minuição da diferença de salários em relação aos ho- mens”, diz ele. MAIOR ESCOLA- RIDADE – Conforme os dados do Cempre, as mulhe- res têm hoje mais anos de estudo do que os homens. Além disso, segundo Suzuki Júnior, o momento positivo da economia vivido pelo Estado entre 2010 e 2014 ajuda a explicar esse cres- cimento. “É preciso lem- brar, por exemplo, que, nes- se período, o Paraná cres- ceu acima da média brasi- leira e se tornou a quarta maior economia do Brasil. E o desempenho da econo- mia tem reflexo direto so- bre o emprego”, afirma ele. MÉDIA - O avanço das mulheres no mercado de trabalho paranaense su- pera o crescimento brasilei- ro, de 16% no período. En- tre 2010 e 2014, o número de mulheres no mercado nacional evoluiu de R$ 18,1 milhões para 20,9 milhões de mulheres. As mulheres ainda re- cebem menos do que os ho- mens. A diferença, contudo, vem caindo nos últimos anos. De acordo com o IBGE, em termos salariais, em 2014, os homens rece- beram, em média, R$ 2.521,07 e as mulheres, R$ 2.016,63. Ou seja, o salário das mulheres era equivalen- te a 80,0% do salário dos homens. A diferença entre os salários caiu de 25,3 % em 2012 para 25% em 2014. Paraná foi o que mais aumentou número assalariados Graças ao desempe- nho da sua economia, o Pa- raná também foi o que mais aumentou o número de em- pregados assalariados entre 2010 e 2014, entre os Esta- dos do Sul e do Sudeste, de acordo com o IBGE. O nú- mero passou de 2,52 mi- lhões para 2,92 milhões de pessoas, crescimento de 15,8% no período. São Paulo registrou um aumento de 11,6%, San- ta Catarina (14,1%), Rio Grande do Sul (12,3%), Rio de Janeiro (4,7%), Espírito Santo (11,9%) e Minas Ge- rais (10,3%). Suzuki Júnior lembra que o desempenho da eco- nomia do Paraná foi supe- rior à da brasileira nesse período, impulsionada pela agropecuária, pela indústria automotiva e pelo setor de serviços. Um levantamento Ipardes com base no índice de atividade econômica di- vulgado pelo Banco Central mostra que entre 2011 e 2014 o Paraná cresceu, em média, 2,94% ao ano. O Bra- sil, no mesmo período, avançou 1,74%. Além de boas safras agrícolas e do crescimento do setor de carnes, a indús- tria de transformação, pu- xada pelo setor automotivo, cresceu embalada pelo cré- dito e pelo avanço do con- sumo. O aumento da massa salarial também impulsio- nou o crescimento do setor de serviços. “Foi a partir de 2014, quando a conta chegou e a economia brasileira entrou em desaceleração, que hou- ve piora de alguns indica- dores”, diz Suzuki Júnior. A pesquisa do IBGE mostra queda no número de empre- sas ativas por conta crise. Em 2014, o Paraná tinha 448, 2 mil empresas ativas, o que representou um recuo de 3% sobre os números de 2013. O recuo, no entanto, ainda é menor do que a ocorrida no Brasil, cuja que- da no número de empresas ativas foi de 5,4%, para 5,1 milhões no País. As mulheres ainda recebem menos do que os homens. A diferença, contudo, vem caindo nos últimos anos O Departamento Estadual do Trabalho da Se- cretaria de Estado da Justi- ça, Trabalho e Direitos Hu- manos promoveu nesta sex- ta-feira, encontro regional com os gerentes das 24 AgênciasdosTrabalhadores de Curitiba e Região Metro- politana. O encontro serviu para alinhar ações que for- taleçam a política do traba- lho, emprego e renda e me- lhorem o atendimento ao trabalhador nas agências. Ampliar o atendi- mento e padronizar os agendamentos pela internet foram temas discutidos. Se- Gerentes discutem melhorias no atendimento dasAgências do Trabalhador Ampliar o atendimento e padronizar os agendamentos pela internet foram temas discutidos Curso ensina policiais a trabalhar com cães de faroA Companhia de Operações com Cães do Batalhão de Operações Especiais (Bope) promoveu em parce- ria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) um curso de capacita- ção para policiais que trabalham com cães de faro. As aulas começaram na terça-feira (21) e terminaram nesta sexta-feira, 24, com a participação de policiais militares do Bope, de Minas Gerais, da Divisão Estadual de Nar- cóticos (Denarc), do Corpo de Bom- beiros de Santa Catarina e profissio- nais da Argentina. No curso são analisadas situa- ções para potencializar o treinamento do animal usado na busca de pessoas, na detecção de narcóticos ou de explo- sivos. “É a primeira vez que uma ativi- dade voltada para este tema ocorre no Brasil. Com o curso, os policiais pode- rão trabalhar com o cachorro na bus- ca de provas que podem ser usadas na condenação de um criminoso”, ex- plica o comandante da Companhia de Operações com Cães, capitão Paulo Renato Aparecido Siloto. O evento teve a participação do argentino Mário Rosillo, perito judi- cial, médico veterinário e integrante do Ministério de Segurança da Ar- gentina, e da pesquisadora e perita ju- dicial Jackeline Rachel. RESULTADOS - Para o cabo Jaime Domingos de Paula, que há 17 anos integra a Companhia de Opera- ções com Cães, o curso trouxe infor- mações para as diferentes áreas de atuação com os cães de faro. “Adqui- rimos conhecimentos novos que, bem direcionados, ajudarão a melhorar os resultados positivos que já temos”, afirmou Jaime. Muitos dos alunos vieram de outros estados e não são militares, mas trabalham na área de pesquisa e desenvolvimento de projetos voltados para o faro do cão. “Essa é uma área muito nova no Brasil”, conta Andres Coelho, de Minas Gerais, que é mé- dico veterinário e trabalha com trei- namento de cães. gundo o diretor-geral da secretaria, Hatsuo Fukuda, o planejamento e o fortale- cimento das ações voltadas às políticas do trabalho são prioridades para levar ao ci- dadão à garantia de seus di- reitos. “Os encontros são uma oportunidade para a troca de informações e de ideias, visando o melhor de- sempenho dessas políticas para todos”, disse Fukuda. O diretor do Depar- tamento do Trabalho, Jor- ge Leonel, disse que o Es- tado age em conjunto com os municípios para atender os cidadãos que solicitam benefícios como o seguro- desemprego. “Estamos tra- balhando para um atendi- mento unificado em todo o Estado, de tal forma que o trabalhador possa dar en- trada em seu benefício em qualquer agência, sem so- brecarregar demais os pos- tos de atendimento”, expli- cou ele. O Paraná é o Esta- do com o maior número de Agências do Trabalhador. São 220 unidades. No curso são analisadas situações para potencializar o treinamento do animal usado na busca de pessoas, na detecção de narcóticos ou de explosivos
  • 6. Página 06 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 PARANÁ NOTÍCIAS “Nos quais o deus (Sa- tanás) deste século cegou os en- tendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus”. (2 Coríntios 4: 4) A desobediência, o amorpelopecado,eomautes- temunho,sãofatoresdecisivos na vida de uma pessoa, foi as- sim desde o começo dos tem- pos e continuará assim por- que Satanás não desiste de influenciar as pessoas. Vamos ver duas clas- ses de pessoas, os humildes e os soberbos, enquanto os humildes que temem a Deus e resistem às investi- das do nosso adversário, de outro lado, os soberbos se distanciam cada vez mais do Senhor e caem na sua própria altivez. Acontece que muitas pessoas querem Deus, en- tendem que Ele é o Cria- dor de tudo e de todos, des- de a prostituta ao bandido mais perigoso sabem que Deus existe. Masporqueessaspes- soas não conseguem largar os seus maus caminhos? Desde o começo da humanidade o ser humano quer andar sozinho, essa au- toconfiança gera uma so- berba e arrogância que re- sulta em desobediência e o afasta de Deus, abrindo en- tão espaço para o adversá- rio tomar conta da sua vida e o colocando como escra- vo do pecado, Deus então, fica impedido de trabalhar em sua vida. “Deus resiste aos sober- bos, dá, porém, graça aos hu- mildes”. (Tiago 4: 6b) Soberba: Soberba é o sentimento negativo carac- terizado pela pretensão de superioridade sobre as de- mais pessoas, levando-as em manifestações ostensivas de arrogância, por vezes sem fundamento algum em fatos ou variáveis reais. Humildade: Humildade vem do Latim humus que signi- fica “filhos da terra”. Refe- re-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas... De certa forma, nós também somos iguais. Por desobediência, brincamos com as coisas de Deus e nos deixamos levar pelas coisas do mundo. Sofremos uma grande atração pelas coisas domundo,eomundovaiaos prendendo cada vez com correntes mais grossas em troncos mais fortes. “Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediên- cia.” (Efésios 5:6) “..Nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da deso- bediência”; (Efésios 2:2) Um exemplo de de- sobediência: O livro de Gênesis 19:17, um anjo enviado do Senhor diz a Ló: “Livra-te, salva a tua vida; não olhes para trás, nem pares em toda a campina; foge para o monte, para que não pe- reças ....Então, fez o SE- NHOR chover enxofre e fogo, da parte do SENHOR, sobre Sodoma e Gomorra. E subver- teu aquelas cidades, e toda a campina, e todos os moradores das cidades, e o que nascia na terra. E a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal.” (Gênesis 19.24-26). Ora, aí se enquadram duas situações muito delica- das: a falta de temor e a de- sobediência da mulher de Ló. Ela olhou para trás, viu as chamas e a lama que fi- cou, mas não foi capaz de prosseguir com sua família. A Bíblia não relata exatamente o que se passou no coração daquela mulher para que ela desobedecesse ao pedido de um anjo de Deus.Umacoisa,porém,fica fácil de concluir: talvez ela estivesse apegada às coisas materiais e não quisesse dei- xar os seus bens para trás. Triste fim da mulher de Ló. Acabou ficando também para trás. Nos dias de hoje, tam- bém podemos pegar a lição dessa mulher como exem- plo e aprender muito. Não se pode avançar enquanto o coração estiver preso a al- guma coisa. Aquela mulher não soube valorizar o “novo” de Deus em sua vida. Ela não pensouemnenhummomen- to que o lugar para onde Deus estava levando a sua família era um lugar de li- vramento. Muitas pessoas tanto homens quanto mulheres hoje agem assim como a mulher de Ló. Deus está li- vrando de uma situação em- baraçosa ou até mesmo de um perigo e ela insiste na- quele ponto, contra a vonta- de de Deus. Em todas as situações de nossa vida devemos estar em vigilância, seja na famí- lia na sociedade, no nosso trabalho, nas finanças e até mesmo dentro da igreja, es- tar atento à voz de Deus é fundamental para sabermos em quais caminhos devemos andar. Um exemplo de ar- rogância: BABEL: (segundo Aurélio) confusão de vozes ou línguas. Desordem, confusão, bal- búrdia. Em Hebraico Porta de Deus. “Ora, toda a terra tinha uma só língua e um só idioma. Deslocando-se os homens para o Oriente,acharamumvalenater- radeSinar,ealihabitaram.Dis- seram uns aos outros: Eia pois, façamos tijolos, e queimemo-los bem. Os tijolos lhes serviram de pedras e o betume por cal. Disseram mais: edifi- quemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque no céu e façamo-nos, um nome, para que não sejamos espalha- dos sobre a face de toda a terra. EntãodesceuoSenhorparaver a cidade e a torre que os filhos dos homens edificavam e disse: eis que o povo é um e todos têm uma só língua; e isto é o que começamafazer,agoranãoha- verá restrição para tudo o que eles intentarem a fazer. Desçamos e confunda- mos ali a sua linguagem para que não entenda um a língua do outro. Assim o Senhor os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edi- ficar a cidade. Por isso se cha- mou o seu nome “BABEL” porquanto ali confundiu o Se- nhoralinguagemdetodaater- ra, e dali o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra.” (Gênesis 11: 1-9) Os homens começa- ram a se achar iguais a Deus e a Torre de Babel era para chegar até Ele. Deus como castigofezcomqueninguém mais se entendesse forman- do um verdadeiro caos, nin- guém se entendia mais e não falavam a mesma língua. Como nos dias de hoje muitas pessoas depositam sua confiança no dinheiro e na posição social, se tornan- do arrogantes, soberbos e presunçosos, esquecendo de Deus, desprezando os cami- nhos do Senhor, e caindo em suas próprias armadilhas. “A soberba precede à ru- ína; e o orgulho, à queda.” (Prov 16: 18) Qual o efeito do mau testemunho na sociedade? Sem alongar a respos- ta podemos dizer que é sim- plesmente devastador. O mau testemunho pode afas- tar alguém de Deus quando esse está querendo uma aproximaçãoparaumenten- dimento melhor. Pode servir de pretex- to para a pessoa não ir à igreja, pois não quer ser comparado com determina- daspessoas.Portanto,aosir- mãos que queiram fazer par- te de uma congregação, que sejam fiéis a Deus, e não de maus exemplos! “Quando a Deus fizeres algum voto, não tardes em cumpri-lo; porque não se agra- dadetolos;oquevotares,paga- o. Melhor é que não votes do que votes e não pagues.” (Ecle- siastes 5: 4-5) Como uma pessoa pode pregar o evangelho para alguém, se ele mes- mo não é cumpridor de suas obrigações? Quando uma pessoa que está em pro- cesso de conversão, e está ouvindo falar das coisas de Deus, ela fica atenta a tudo e a todos que estão em sua volta, então, pessoas arro- gantes e soberbas “conven- cidas” e não convertidas aca- bam causando um estrago tremendo no grande proje- to de evangelização que Je- sus deixou para nós fazer- mos. Sim! Para nós mesmos... Pra mim, pra você, pra quem está em sua volta. Quando Jesus disseideportodomundoepre- gai o evangelho, em Marcos 16: 15, Ele (Jesus) não estava sereferindosimplesmenteaos apóstolos, mas em todo aque- le que crer. Como deve se comportar aquele que já recebeu os ensinamentos da palavra de Deus? “Vocêssãoaluzdomun- do. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. As- sim brilhe a luz de vocês dian- te dos homens, para que vejam assuasboasobraseglorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.” (Mateus 5: 14-16) Nãopodemossimples- mente reter para nós aquilo que Deus nos tem feito, mas antes fazer manifesto a todo mundo, multiplicando a pa- lavra de Deus com amor, e simplicidade,dandobomtes- temunho a todos que estão em sua volta. “E direis, naquele dia: Daí graças ao SENHOR, in- vocai o seu nome, tornai ma- nifestos os seus feitos entre os povos e contai quão grandioso é o seu nome.” (Isaías 12: 4) A essência desta res- posta está em nosso objeti- vo, no nosso alvo. Nós não precisamos olhar a vida de outras pessoas que se dizem cristãos,nósprecisamossim, é abrir nossos olhos e bus- car a paz, a nossa salvação, e da nossa família, e ainda, pregar o evangelho para aqueles que estão precisan- do ouvir a palavra de Deus. As pessoas não podem cometerosmesmoerrosque outros cometem, se algumas pessoasnãodãoumbomtes- temunho é um problema de- las, se você der muito valor a isso e resistir à palavra de Deus, aí já passa a ser um problema seu. A igreja está cheia de pessoas de todos os tipos, pense bem, se fossem perfei- tas não estariam lá! Nós so- mos barro na mão do oleiro, Deus não concerta, Ele que- bra e nos faz de novo! Na carta do apóstolo Paulo aos Filipenses, ele es- creve da seguinte maneira: (Filipenses 3: 13-14) “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcança- do; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vo- caçãocelestialdeDeusemCris- to Jesus. Pelo que todos quantos somos perfeitos tenhamos este sentimento; e, se sentis alguma coisa de modo diverso, Deus também vo-lo revelará. Mas, naquela medida de per- feição a que já chegamos, nela prossigamos. Irmãos, sede meus imi- tadores, e atentai para aqueles que andam conforme o exem- plo que tendes em nós; porque muitos há, dos quais repeti- das vezes vos disse, e agora vos digo até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo; cujo fim é a perdi- ção; cujo deus é o ventre; e cuja glória assenta no que é vergonhoso; cuidam das coisas terrenas. Mas a nossa pátria está nos céus, donde também aguar- damos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória, segundo o seu efi- caz poder de até sujeitar a si todas as coisas.” Atenção especial em algumas partes. Esquecendo-me das coisasqueatrásficam...pros- sigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus. Veja bem, a partir do mo- mento que você esta em Cristo tudo o que está em sua volta não tem sentido, não temos que preocupar- mos com as outras pessoas, com que elas fazem ou dei- xa de fazer, ou muito menos com que elas falam. Qual é o seu alvo, Je- sus Cristo, ou uma socieda- de corrompida com valores distorcidos, que envergonha o sacrifício que Jesus fez por nós? Mas, naquela medida de perfeição a que já chega- mos, nela prossigamos... Retroceder diante da palavra de Deus é o mesmo que cair em um abismo. É o que acontece com aqueles tentam enganar a Deus. “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”. (Marcos 7: 6) A Deus ninguém en- gana, com aparência então, muito menos! Religiosidade em ex- cesso, fé e dignidade quase nada! Porque muitos há, dos quais repetidas vezes vos disse, e agora vos digo até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo;cujofiméaperdição;cujo deus é o ventre; e cuja glória as- senta no que é vergonhoso; os quais só cuidam das coisas ter- renas. (Filipenses 3: 18-19) Muito, mas muitos mesmos, não vivem o que pregam, está aí o tamanho do abismo que essas pesso- as criaram, se perderam em seusdesejosesuasambições, invalidando o sacrifício de Jesus. (Texto extraído da revista Olhar Cristão / Claudinho Cruz) Jornal lançará revista de evangelização O Jornal Paraná Notícias lançará no mês de agosto uma revista de evangelização, a ideia é reproduzir conteúdo semelhante à página Olhar Cristão do próprio jornal. A revista, que também leva o nome Olhar Cristão, trará mensagens que abordam temas cruciais da vida do ser humano, dando orientação à luz da Bíblia. Segundo o escritor Claudinho Cruz, os 2000 exemplares praticamente já estão encomendados por várias igrejas que desejam repassar esse material de evangelização aos seus fiéis. O objetivo é fazer com que cada membro apresente essa revista a uma pessoa que queira conhecer um pouco mais da palavra de Deus. “Ao todo, serão 24 perguntas e respostas que serão divididos em três volumes. Sem exaltar ou menosprezar qualquer crença, acreditamos que todos nós temos o mesmo objetivo, a salvação de nossos irmãos”, explicou. “Sabei que aquele que fizer converter um pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados.” (Tiago 5: 20) Por que tantas pessoas resistem à palavra de Deus?
  • 7. PublicidadePARANÁ NOTÍCIAS Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Página 07
  • 8. Página 08 Campo Mourão, 24 e 25 de junho de 2016 Especial PARANÁ NOTÍCIAS O Governo Munici- pal de Engenheiro Beltrão fez na última semana a en- trega de tatames, brinque- dos, e livros infantis a todos os seis Centros de Educa- ção Infantil (CMEIs) do município. Além dos mate- riais escolares, os estabele- cimentos de ensino foram contemplados também com a complementação na me- renda e merenda especial. Os produtos foram adquiridos com recursos do Brasil Carinhoso, do Fundo Nacional de Educação (FNDE) Centros de Educação Infantil de Engenheiro Beltrão recebem materiais escolares Os produtos foram adquiri- dos com recursos do Brasil Carinhoso, do Fundo Naci- onal de Educação (FNDE). De acordo com o se- cretário da Educação e Cul- tura do município, Daniel Olegário, este é o segundo ano consecutivo que a área da educação de Engenhei- ro Beltrão recebe esta ver- ba, destinada exclusiva- mente à Educação Infantil. “Para que o municí- pio receba os recursos é ne- cessário que os pais façam o cadastro para os alunos novos ou o recadastramen- to do NIS (Programa de Integração Social) dos alu- nos que já estavam matri- culados em 2015”, explicou o secretário. Ele acrescen- tou que o cadastro deve ser feito junto ao CRAS (Cen- tros de Referência da As- sistência Social) do muni- cípio até o final deste mês. Cultura em pauta - Olegário participou também na última quinta-feira de um encontro em Paranavaí com osecretárioEstadualdaCul- tura,JoãoLuizFiani.Ostéc- nicos do PAA/Mesa Brasil, Claudemir Gomes de Melo e Samuel Ramos Santos Sousatambémestiveramno encontro. Naocasião,Fianifalou sobre os investimentos des- tinados a cultura no Estado eabordousobrealgunspro- gramas na área da cultura do Estado como o Profice (Pro- grama Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), e al- guns projetos como Incuba- dora, Paraná Criativo, e Agente de Leitura. “Duran- te sua fala Fiani fez menção ao interesse do Estado no incentivo à cultura em to- dos os municípios do Para- ná”, comentou Olegário.