Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Professor Julio Cesar de Aguiar, PhD

“Se compreendermos bem que o centro do pensamento
de Marx é a afirmação do caráter contraditório do
regime capitalista, ...

“A história humana se caracteriza pela luta de
grupos humanos que chamaremos classes
sociais, cuja definição...implica u...

 Os capitalistas não podem deixar de revolucionar as
forças produtivas – tecnologia e métodos de
organização da produçã...

1) Em sua luta pela existência, os seres humanos
entram em relações necessárias, basicamente
econômicas, o que constitui...

4) A revolução social acontece quando a classe
revolucionária – associada às novas relações de
produção – substitui (eve...
1) Para Marx, o capitalismo se caracteriza pela busca
do lucro.
2) No entanto, segundo ele, na troca simples –
mercadoria...

1) Valor de uso = valor intrínseco aos bens, ou seja, a
utilidade que eles têm para as pessoas.
2) Valor de troca = trab...
 Cinco anos antes da publicação do primeiro volume
de O Capital, W. S. Jevons (1835-1882) publicou o
livro que inaugurou...

“A incontestável herança filosófica de Marx é a
convicção de que o devenir histórico tem uma
significação filosófica. Um...

“Interpretada sociologicamente, a alienação é
uma crítica ao mesmo tempo histórica, moral e
sociológica da ordem social ...

“Na produção social da própria vida, os homens contraem relações
determinadas, necessárias e independentes de sua vontad...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014

983 Aufrufe

Veröffentlicht am

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014

  1. 1. Professor Julio Cesar de Aguiar, PhD
  2. 2.  “Se compreendermos bem que o centro do pensamento de Marx é a afirmação do caráter contraditório do regime capitalista, entenderemos imediatamente por que é impossível separar o sociólogo do homem de ação, já que demonstrar o caráter antagônico do regime capitalista leva irresistivelmente a anunciar a autodestruição do capitalismo...” (Aron, Etapas do Pensamento Sociológico, p. 136) Crítico do Capitalismo
  3. 3.  “A história humana se caracteriza pela luta de grupos humanos que chamaremos classes sociais, cuja definição...implica uma dupla característica: por um lado, a de comportar o antagonismo dos opressores e dos oprimidos e, por outro lado, de tender a uma polarização em dois blocos, e somente dois.” (Ibidem) Luta de Classes
  4. 4.   Os capitalistas não podem deixar de revolucionar as forças produtivas – tecnologia e métodos de organização da produção –, mas, procuram manter inalteradas as relações de produção – em especial, a propriedade privada dos meios de produção;  O capitalismo produz cada vez mais, porém, a classe produtora (o proletariado) se torna mais e mais miserável. Contradições inerentes ao capitalismo
  5. 5.  1) Em sua luta pela existência, os seres humanos entram em relações necessárias, basicamente econômicas, o que constitui a infraestrutura da sociedade. 2) Como reflexo desta infraestrutura, surge a superestrutura, composta pelos modos de pensar (filosofias, ideologias) e as instituições jurídicas e políticas. 3) O movimento (dialética) da história se dá pela contradição entre forças produtivas e as relações de produção. Interpretação econômica da história
  6. 6.  4) A revolução social acontece quando a classe revolucionária – associada às novas relações de produção – substitui (eventualmente pela força) a classe reacionária – associada às antigas relações de produção – , ‘resolvendo’ assim a contradição existente e ‘liberando’ o desenvolvimento das forças produtivas. 5) As revoluções, portanto, são a “expressão de uma necessidade histórica”. (Aron, op. cit., p. 142) 6) Não é a consciência que determina a realidade, mas a realidade (relações econômico-sociais) que determina a consciência. 7) Ao longo da história, existiram quatro modos de produção: asiático, antigo, feudal e capitalista. Interpretação econômica da história
  7. 7. 1) Para Marx, o capitalismo se caracteriza pela busca do lucro. 2) No entanto, segundo ele, na troca simples – mercadoria por mercadoria – ninguém obtém mais do que cede. 3) Apenas na troca capitalista – dinheiro por mercadoria e novamente por dinheiro, o lucro aparece. 4) A questão principal para entender o capitalismo então é; Qual a origem do lucro? 5) A resposta de Marx é a chamada mais-valia; O Capital (Livro I)
  8. 8.  1) Valor de uso = valor intrínseco aos bens, ou seja, a utilidade que eles têm para as pessoas. 2) Valor de troca = trabalho socialmente necessário (= mercadorias necessárias à sobrevivência do trabalhador e família). 3) Valor de troca do trabalho = valor das mercadorias indispensáveis à reprodução do trabalhador e sua família. 4) Mais-valia = valor da jornada – valor do trabalho necessário (≈ salário) Teoria da mais-valia
  9. 9.  Cinco anos antes da publicação do primeiro volume de O Capital, W. S. Jevons (1835-1882) publicou o livro que inaugurou a chamada revolução marginalista em economia, A General Mathematical Theory of Political Economy. Dois outros autores são também considerados ‘pais’ da teoria que se tornaria o mainstream econômico, Karl Menger (1840-1921) e Léon Walras (1834-1910).  O marginalismo se caracteriza, entre outros aspectos, por tornar a teoria dos preços (em lugar da do valor) a base da ciência econômica. O Capital e o Marginalismo
  10. 10.  “A incontestável herança filosófica de Marx é a convicção de que o devenir histórico tem uma significação filosófica. Um novo regime econômica e social não é apenas uma peripécia que será oferecida posteriormente à curiosidade desprendida dos historiadores profissionais, mas uma etapa do devenir da humanidade.” (Aron, op. cit., p. 159) Filosofia da História de Marx
  11. 11.  “Interpretada sociologicamente, a alienação é uma crítica ao mesmo tempo histórica, moral e sociológica da ordem social da época. No regime capitalista, os homens são alienados, eles mesmos se perdem na coletividade, e a raiz de todas as alienações é a alienação econômica.” (Aron, op. cit., p. 161) O conceito de alienação
  12. 12.  “Na produção social da própria vida, os homens contraem relações determinadas, necessárias e independentes de sua vontade, relações de produção estas que correspondem a uma etapa determinada de desenvolvimento das suas forças produtivas materiais. A totalidade destas relações de produção forma a estrutura econômica da sociedade, a base real sobre a qual se levanta uma superestrutura jurídica e política, e à qual correspondem formas sociais determinadas de consciência. O modo de produção da vida material condiciona o processo em geral de vida social, político e espiritual. Não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas, ao contrário, é o seu ser social que determina a sua consciência.” (Marx, Prefácio à Para a Crítica da Economia Política, Os Pensadores, pp. 129-130) O direito como superestrutura

×