Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
PROJETOS DE
COLHEDORAS DE FRUTAS
Prof. Dr. Daniel Albiero
FORTALEZA - CE
COLHEITA DE FRUTAS
 COLHER FRUTAS É UM DESAFIO COMPLEXO;
 DEPENDE DA ESPÉCIE;
COLHEITA DE FRUTAS
 DEPENDE DA MATURIDADE DO PRODUTO;
COLHEITA DE FRUTAS
 DEPENDE DO PERÍODO DE COLHEITA
COLHEITA DE FRUTAS
A colheita de frutas pode ser ÚNICA ou MÚLTIPLA.
COLHEITA DE FRUTAS
Colheita Laranja
Colheita Melão
Grande chance de ocorrerem PERDAS por danos físicos.
COLHEITA DE FRUTAS
A colheita pode ser dividida em três tipos:
COLHEITA DE FRUTAS
Manual
Auxílio Mecânico
Mecanizada
CONCEITO DE FRUTOS E FRUTAS
FRUTOS: Os frutos são formados a partir das flores, mais
especificamente a partir do ovário de...
CONCEITO DE FRUTOS E FRUTAS
FRUTAS: “fruta” é utilizada no nosso dia-a-dia, apenas
popularmente, para diferenciarmos fruto...
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Australopithecus => 1,5 milhões anos
Colheita Semelhante aos Símios
Homo Habilis => 1 milh...
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
HOMO SAPIENS SAPIENS200 mil anos
Esta espécie desenvolveu, fomentou e inovou
técnicas, ri...
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Esculturas em obeliscos egípcios, 4000 a.C.
Colheita de Uvas 3000 a.C.
Pinturas na tumba do faraó Hui (Vigésima dinastia, 3500 a.C).
Fonte: http://www.naturalhistorymag.com
SISTEMA ANTIGO DE CO...
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Ânfora Grega, 1500 a.C.
Pintura em tumba grega, 200 a.C.
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita judaica, 10 d.C.
Colheita de uva, 900 d.C.
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita de caju, 1512 d.C.
Colheita de coco, 1612 d.C.
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita Café (com escravos), 1835.
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita Café (com imigrantes), 1902.
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita abacaxi, 1920.
Colheita açaí, 1940.
Colheita laranja, 1950.
Colheita uva, 1960.
Colheita abacaxi, 1960.
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita Café, 1972 (Jacto K 3, primeira colhedora de café do mundo!).
HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
Colheita de batata, 1970.
COLHEITA MECANIZADA DE FRUTAS/FRUTOS
Fonte: http:/ streetsmartbrazil.com
Genética
Plantio
Adubação
Irrigação
Tratos c...
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
As características das frutas que podem ser percebidas
pelos sentidos humanos recebem o nome ...
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
Cor
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
Odor
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
Sabor
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
Brilho
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
Textura
PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS
Som Toc toc toc
Plof Plof Plof
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Organização do corpo da planta
 Corpo estruturado por células;
 Célu...
ORGANIZAÇÃO DA PLANTA
 Corpo estruturado por células;
 Células formando tecidos;
ORGANIZAÇÃO DA PLANTA
 Tecidos de proteção:
Cutítula=material ceroso;
Epiderme=células prensadas juntas e de difícil separação;
Espaços interce...
 Tecidos de condução:
Floema;
Xilema.
ORGANIZAÇÃO DA PLANTA
 Tecidos de suporte:
Parênquima (principal tipo de célula vegetal, possuem
diversas funções);
Collenquimacélula estrutur...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Parede celular
A Elasticidade,
Resistências e
Rigidez dos
tecidos vege...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Parede celular
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Conteúdos da Célula
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Relação entre pressão de Turgor e Rigidês do Tecido
O módulo de elasti...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Dimensionais das células e espaços
intercelulares
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Dimensionais das células e espaços
intercelulares
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Dimensionais das células e espaços
intercelulares
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Dimensionais das células e espaços
intercelulares
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Estrutura geral de Frutas
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Estrutura geral de Frutas
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Estrutura geral de Frutas
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Estrutura geral de Frutas
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Estrutura geral de Frutas
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Estrutura geral de Frutas
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Fís...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Fís...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Fís...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Físicas: Tamanho e Forma
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Físicas: Tamanho e Forma
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Físicas: Volume e Densidade
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Físicas: Porosidade ( em relação ao empacotamento)
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Físicas: Área Superficial (considerando a elipsoide).
...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Características Físicas: Área Superficial (considerando a elipsoide).
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
 Propriedades mecân...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
Terminologia ASTM pa...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.

PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades reológicas: Tensão Total e Deformação Total.
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades reológicas: Creep e Relaxation.
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão de Materiais Biológicos: Creep e Relaxation
Creep Re...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades reológicas: Creep (arrastamento).
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Propriedades reológicas: Relaxation (relaxação).
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Fundamentos Matemáticos (cálculo vetorial)
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Fundamentos Matemát...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Fundamentos Matemáticos
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Fundamentos Matemáticos (cálculo tensorial).
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Fundamentos Matemáticos
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Fundamentos Matemáticos
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Mecânica do Contínuo
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Mecânica do Contínuo
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão de Materiais Biológicos
Análise de Tensão de Materiais Biológicos: CREEP (arrastamento)
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Análise de Tensão de Materiais Biológicos: RELAXATION (relaxação)
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Material Isotrópico: CREEP
F= F[J1(σ),J2(σ),J3(σ)]
Material Anisotrópico: CREEP ≠
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
F= F[J1(σ),J2(σ),J3(σ)]
Tensor de danos: Os danos em frutos tem características de tornar
anisotrópico um material isotrópico
PROPRIEDADES FÍSICO-...
Tensor de danos: Os danos em frutos tem características de tornar
anisotrópico um material isotrópico
PROPRIEDADES FÍSICO-...
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Material Viscoelástico
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Material Viscoplástico
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Material Viscoplástico
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Vibrações
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Vibrações
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Impacto
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Impacto
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Impacto
PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
Impacto
RESTRIÇÕES NATURAIS
Maturação
Tamanho dos Frutos
Fonte:http://www.correiodemocratico.com.br
Fonte:http://www.cienciahoje.p...
Colheita ManualColheita Mecânica
Fonte:http://revistadinheirorural.terra.com.br/
Fonte:http://www.queromaisvinho.com.br
R$...
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: http://www.sindicatoruralmc.com.br
Puxar
Colhedora de Cenouras
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: http://www.feucht-obsttechnik.de
Chacoalhar
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: http://www.tramontina.com.br
Corte
Barra de corte
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: http://mansikka.netsor.fi/
Rotação
Colhedora de Morangos
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: www.caseih.com
Roto-Vibracional
Colhedora de Café
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: http://citrusmh.ifas.ufl.edu
Vento
Blower para colher laranjas
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Fonte: www.grimme.de
Escavação
Colhedora de Batatas
Torção
Fonte: Aljanobi et al. (2010)
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Colhedora Robótica de laranjas
Fonte: http://citrusmh.ifas.ufl.edu
Vibracional
RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO
Sistema de colheita de azeitonas
RELAÇÕES FUNCIONAIS - CONTROLE
Fonte: http://www.sindicatoruralmc.com.br
Mesa de Gravidade
Fonte:http://standeyo.com
Carretas de Tomate
RELAÇÕES FUNCIONAIS - TRANSPORTE
Fonte: http://www.grimme.de
Colhedora de Batatas
RELAÇÕES FUNCIONAIS - SELEÇÃO
INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS
Alterações fisiológicas;
Alterações metabólicas;
Alterações no Aroma;
Alterações no Sabor;
D...
INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS
Tensão de contato (de Hertz)
INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS
Tensão de contato (de Hertz)
INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS
Tensão de contato para corpos viscoelásticos
INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS
Tensão de contato para corpos viscoelásticos
FRUTAS DE MESA X FRUTAS NDÚSTRIA
http://www.guaresi.comFerreira, M. D. (2008)
Capacidade de Campo
Impactos nas frutas
Vida...
EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
http://www.guaresi.com
EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
www.grimme.com( 2012) (100ton/h)
Peterson et al.
(2003) – EUA
EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
www.newholland.com( 2012)
EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
Fergunson et al.
(2006) – EUA
EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
http://portuguese.alibaba.com
EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
Fonte: IBGE (2006) – SUDENE (2012)
CONTEXTO DO SEMIÁRIDO
TECNOLOGIA ADEQUADA E APROPRIADA PARA O SEMIÁRIDO
Fonte: IBGE (2006) – SUDENE (2012)
Fonte: Albiero et al. (2012)
Fonte: A...
TECNOLOGIA ADEQUADA E APROPRIADA PARA O SEMIÁRIDO
INOVAÇÃO TECNOLÓGICA
X
http://www.bonappetit.com (2012) - Índia
Aljanobi...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Projetos de Máquinas Agrícolas - A9

180 Aufrufe

Veröffentlicht am

Aula 9 - Colhedoras de Frutas

Veröffentlicht in: Ingenieurwesen
  • Als Erste(r) kommentieren

Projetos de Máquinas Agrícolas - A9

  1. 1. PROJETOS DE COLHEDORAS DE FRUTAS Prof. Dr. Daniel Albiero FORTALEZA - CE
  2. 2. COLHEITA DE FRUTAS  COLHER FRUTAS É UM DESAFIO COMPLEXO;
  3. 3.  DEPENDE DA ESPÉCIE; COLHEITA DE FRUTAS
  4. 4.  DEPENDE DA MATURIDADE DO PRODUTO; COLHEITA DE FRUTAS
  5. 5.  DEPENDE DO PERÍODO DE COLHEITA COLHEITA DE FRUTAS
  6. 6. A colheita de frutas pode ser ÚNICA ou MÚLTIPLA. COLHEITA DE FRUTAS Colheita Laranja Colheita Melão
  7. 7. Grande chance de ocorrerem PERDAS por danos físicos. COLHEITA DE FRUTAS
  8. 8. A colheita pode ser dividida em três tipos: COLHEITA DE FRUTAS Manual Auxílio Mecânico Mecanizada
  9. 9. CONCEITO DE FRUTOS E FRUTAS FRUTOS: Os frutos são formados a partir das flores, mais especificamente a partir do ovário de uma flor.
  10. 10. CONCEITO DE FRUTOS E FRUTAS FRUTAS: “fruta” é utilizada no nosso dia-a-dia, apenas popularmente, para diferenciarmos frutos doces (Frutas) de frutos salgados ou amargos (Legumes). (Joyce Marques Barbosa, 2015)
  11. 11. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Australopithecus => 1,5 milhões anos Colheita Semelhante aos Símios Homo Habilis => 1 milhões anos Planeja incursões de colheita Homo Erectus => 500 mil anos Estrutura Social Colheita->Mulheres Homo Sapiens Neanderthal => 250 mil anos Técnicas de colheita desenvolvidas Conhecimento da relação fruta/época/local
  12. 12. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS HOMO SAPIENS SAPIENS200 mil anos Esta espécie desenvolveu, fomentou e inovou técnicas, rituais e tabus envolvendo a colheita (coleta) de frutos, este fato é certo, provado pelas pinturas rupestres.
  13. 13. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Esculturas em obeliscos egípcios, 4000 a.C. Colheita de Uvas 3000 a.C.
  14. 14. Pinturas na tumba do faraó Hui (Vigésima dinastia, 3500 a.C). Fonte: http://www.naturalhistorymag.com SISTEMA ANTIGO DE COLHEITA “MECANIZADA” DE FRUTAS
  15. 15. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Ânfora Grega, 1500 a.C. Pintura em tumba grega, 200 a.C.
  16. 16. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita judaica, 10 d.C. Colheita de uva, 900 d.C.
  17. 17. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita de caju, 1512 d.C. Colheita de coco, 1612 d.C.
  18. 18. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita Café (com escravos), 1835.
  19. 19. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita Café (com imigrantes), 1902.
  20. 20. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita abacaxi, 1920. Colheita açaí, 1940. Colheita laranja, 1950.
  21. 21. Colheita uva, 1960. Colheita abacaxi, 1960. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS
  22. 22. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita Café, 1972 (Jacto K 3, primeira colhedora de café do mundo!).
  23. 23. HISTÓRIA DA COLHEITA DE FRUTAS Colheita de batata, 1970.
  24. 24. COLHEITA MECANIZADA DE FRUTAS/FRUTOS Fonte: http:/ streetsmartbrazil.com Genética Plantio Adubação Irrigação Tratos culturais Controle de pragas Controle de doenças Qualidade Características Estética Condições para Pré-Benef.-Pós DESAFIO:Custo/benefício da operação Propriedades organo-lépticas Características físico-químicas
  25. 25. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS As características das frutas que podem ser percebidas pelos sentidos humanos recebem o nome de propriedades organolépticas (do grego, organon, organismo, letpos, que impressiona). E são: Cor, Odor, Sabor, Brilho, Textura e Som.
  26. 26. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS Cor
  27. 27. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS Odor
  28. 28. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS Sabor
  29. 29. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS Brilho
  30. 30. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS Textura
  31. 31. PROPRIEDADES ORGANO-LÉPTICAS Som Toc toc toc Plof Plof Plof
  32. 32. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Organização do corpo da planta  Corpo estruturado por células;  Células formando tecidos;  Tecidos de proteção: Cutítula; Epiderme; Espaços intercelulares.  Tecidos de condução: Floema; Xilema.  Tecidos de suporte: Parênquima; Collenquima; Esclerenquima.
  33. 33. ORGANIZAÇÃO DA PLANTA  Corpo estruturado por células;
  34. 34.  Células formando tecidos; ORGANIZAÇÃO DA PLANTA
  35. 35.  Tecidos de proteção: Cutítula=material ceroso; Epiderme=células prensadas juntas e de difícil separação; Espaços intercelulares=Regiões preenchidas por gás. ORGANIZAÇÃO DA PLANTA
  36. 36.  Tecidos de condução: Floema; Xilema. ORGANIZAÇÃO DA PLANTA
  37. 37.  Tecidos de suporte: Parênquima (principal tipo de célula vegetal, possuem diversas funções); Collenquimacélula estrutural; Esclerenquimacélula estrutural. ORGANIZAÇÃO DA PLANTA Esclerenquima.
  38. 38. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Parede celular A Elasticidade, Resistências e Rigidez dos tecidos vegetais são devido as propriedades reológicas da parede celular. Obs: Propriedades reológicas: propriedades físicas que influenciam o transporte de quantidade de movimento (mv) num fluido.
  39. 39. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Parede celular
  40. 40. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Conteúdos da Célula
  41. 41. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Relação entre pressão de Turgor e Rigidês do Tecido O módulo de elasticidade de plantas é dependente da pressão de turgor das células (pressão exercida pela água no interior da mesma)..
  42. 42. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Dimensionais das células e espaços intercelulares
  43. 43. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Dimensionais das células e espaços intercelulares
  44. 44. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Dimensionais das células e espaços intercelulares
  45. 45. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Dimensionais das células e espaços intercelulares
  46. 46. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Estrutura geral de Frutas
  47. 47. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Estrutura geral de Frutas
  48. 48. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Estrutura geral de Frutas
  49. 49. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Estrutura geral de Frutas
  50. 50. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Estrutura geral de Frutas
  51. 51. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Estrutura geral de Frutas
  52. 52. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Tamanho e Forma
  53. 53. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Tamanho e Forma
  54. 54. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Tamanho e Forma
  55. 55. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Tamanho e Forma
  56. 56. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Tamanho e Forma
  57. 57. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Volume e Densidade
  58. 58. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Porosidade ( em relação ao empacotamento)
  59. 59. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Área Superficial (considerando a elipsoide). 12 2 2 2 2 2 =++ c z b y a x
  60. 60. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Características Físicas: Área Superficial (considerando a elipsoide).
  61. 61. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.  Propriedades mecânicas são definidas como aquelas que descrevem o comportamento do material sob a aplicação de forças.  Basicamente são o comportamento da relação tensão/deformação de um material sob cargas dinâmicas e estáticas.  A Reologia é a ciência que estuda a deformação e o fluxo. Assim quando solicitações externa resultam em deformação e fluxo de material, as propriedades mecânicas são denominadas propriedades reológicas.
  62. 62. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
  63. 63. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades mecânicas / propriedades reológicas. Terminologia ASTM para propriedades Mecânicas: Mohsenin (1986), páginas 130-141
  64. 64. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
  65. 65. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades mecânicas / propriedades reológicas. 
  66. 66. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades mecânicas / propriedades reológicas.
  67. 67. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades reológicas: Tensão Total e Deformação Total.
  68. 68. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades reológicas: Creep e Relaxation.
  69. 69. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Análise de Tensão de Materiais Biológicos: Creep e Relaxation Creep Relaxation
  70. 70. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades reológicas: Creep (arrastamento).
  71. 71. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Propriedades reológicas: Relaxation (relaxação).
  72. 72. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Fundamentos Matemáticos (cálculo vetorial)
  73. 73. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICOPROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Fundamentos Matemáticos
  74. 74. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Fundamentos Matemáticos
  75. 75. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Fundamentos Matemáticos (cálculo tensorial).
  76. 76. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Fundamentos Matemáticos
  77. 77. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Fundamentos Matemáticos
  78. 78. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Mecânica do Contínuo
  79. 79. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Mecânica do Contínuo
  80. 80. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Análise de Tensão
  81. 81. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Análise de Tensão
  82. 82. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Análise de Tensão
  83. 83. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Análise de Tensão
  84. 84. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Análise de Tensão de Materiais Biológicos
  85. 85. Análise de Tensão de Materiais Biológicos: CREEP (arrastamento) PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
  86. 86. Análise de Tensão de Materiais Biológicos: RELAXATION (relaxação) PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
  87. 87. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Material Isotrópico: CREEP F= F[J1(σ),J2(σ),J3(σ)]
  88. 88. Material Anisotrópico: CREEP ≠ PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO F= F[J1(σ),J2(σ),J3(σ)]
  89. 89. Tensor de danos: Os danos em frutos tem características de tornar anisotrópico um material isotrópico PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
  90. 90. Tensor de danos: Os danos em frutos tem características de tornar anisotrópico um material isotrópico PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO
  91. 91. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Material Viscoelástico
  92. 92. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Material Viscoplástico
  93. 93. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Material Viscoplástico
  94. 94. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Vibrações
  95. 95. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Vibrações
  96. 96. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Impacto
  97. 97. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Impacto
  98. 98. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Impacto
  99. 99. PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE MATERIAL BIOLÓGICO Impacto
  100. 100. RESTRIÇÕES NATURAIS Maturação Tamanho dos Frutos Fonte:http://www.correiodemocratico.com.br Fonte:http://www.cienciahoje.pt/817
  101. 101. Colheita ManualColheita Mecânica Fonte:http://revistadinheirorural.terra.com.br/ Fonte:http://www.queromaisvinho.com.br R$400.000,00, 8 ton/h, R$ 30,00/ton R$30,00/diária, 0,04 ton/h R$72,00/ton RESTRIÇÕES ECONÔMICAS
  102. 102. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: http://www.sindicatoruralmc.com.br Puxar Colhedora de Cenouras
  103. 103. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: http://www.feucht-obsttechnik.de Chacoalhar
  104. 104. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: http://www.tramontina.com.br Corte Barra de corte
  105. 105. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: http://mansikka.netsor.fi/ Rotação Colhedora de Morangos
  106. 106. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: www.caseih.com Roto-Vibracional Colhedora de Café
  107. 107. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: http://citrusmh.ifas.ufl.edu Vento Blower para colher laranjas
  108. 108. RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Fonte: www.grimme.de Escavação Colhedora de Batatas
  109. 109. Torção Fonte: Aljanobi et al. (2010) RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Colhedora Robótica de laranjas
  110. 110. Fonte: http://citrusmh.ifas.ufl.edu Vibracional RELAÇÕES FUNCIONAIS - REMOÇÃO Sistema de colheita de azeitonas
  111. 111. RELAÇÕES FUNCIONAIS - CONTROLE Fonte: http://www.sindicatoruralmc.com.br Mesa de Gravidade
  112. 112. Fonte:http://standeyo.com Carretas de Tomate RELAÇÕES FUNCIONAIS - TRANSPORTE
  113. 113. Fonte: http://www.grimme.de Colhedora de Batatas RELAÇÕES FUNCIONAIS - SELEÇÃO
  114. 114. INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS Alterações fisiológicas; Alterações metabólicas; Alterações no Aroma; Alterações no Sabor; Diminuição da Qualidade. Esforços de Compressão; Esforços de cisalhamento; Esforços de creep (tensão constante no tempo/deformação variável no tempo) Esforços de fadiga.   Fonte: http://www.telegraph.co.uk, Alan Sailer. Danos Mecânicos
  115. 115. INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS Tensão de contato (de Hertz)
  116. 116. INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS Tensão de contato (de Hertz)
  117. 117. INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS Tensão de contato para corpos viscoelásticos
  118. 118. INTERAÇÃO MÁQUINA/FRUTOS Tensão de contato para corpos viscoelásticos
  119. 119. FRUTAS DE MESA X FRUTAS NDÚSTRIA http://www.guaresi.comFerreira, M. D. (2008) Capacidade de Campo Impactos nas frutas Vida Útil da fruta Capacidade de Campo Impactos nas frutas X X Vida Útil da fruta 50ton/h (6 km/h)10ton/h (1,5km/h)
  120. 120. EXEMPLOS DE SOLUÇÕES http://www.guaresi.com
  121. 121. EXEMPLOS DE SOLUÇÕES www.grimme.com( 2012) (100ton/h)
  122. 122. Peterson et al. (2003) – EUA EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
  123. 123. www.newholland.com( 2012) EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
  124. 124. Fergunson et al. (2006) – EUA EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
  125. 125. http://portuguese.alibaba.com EXEMPLOS DE SOLUÇÕES
  126. 126. Fonte: IBGE (2006) – SUDENE (2012) CONTEXTO DO SEMIÁRIDO
  127. 127. TECNOLOGIA ADEQUADA E APROPRIADA PARA O SEMIÁRIDO Fonte: IBGE (2006) – SUDENE (2012) Fonte: Albiero et al. (2012) Fonte: Albiero et al. (2012)
  128. 128. TECNOLOGIA ADEQUADA E APROPRIADA PARA O SEMIÁRIDO INOVAÇÃO TECNOLÓGICA X http://www.bonappetit.com (2012) - Índia Aljanobi et al. (2010) – Árábia Saudita “As melhores soluções são as mais simples, pois as mais sofisticadas, somente os ricos podem ter”. Prof. Dr. Cheu Shang Chang

×