Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×

DOC-20221105-WA0109. (1).pptx

Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 9 Anzeige
Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Aktuellste (20)

Anzeige

DOC-20221105-WA0109. (1).pptx

  1. 1. z
  2. 2. z Pampa  Pampa é um bioma que se estende pelo sul da América do Sul, compreendendo áreas de clima subtropical úmido. No Brasil, os Pampas (ou campos sulinos) ocorrem somente no estado do Rio Grande do Sul, em uma área que equivale a 2% do território nacional  Características do Pampa  O Pampa pode ser descrito como um tipo de pradaria da América do Sul, e por isso apresenta características semelhantes aos campos de outras regiões de clima temperado do planeta.
  3. 3. z Importância e conservação do Pampa  O Pampa é um bioma que contém grande biodiversidade, apresentando inclusive inúmeras espécies endêmicas, sendo assim importante fonte de recursos genéticos. Além disso, essa biodiversidade é responsável por inúmeros serviços ecossistêmicos, como:   estocagem de carbono  purificação das águas  controle de pragas agrícolas  controle da erosão do solo  reposição de sua fertilidade  É importante destacar que grande parte do aquífero Guarani encontra-se no Pampa.  Embora apresente grande importância para todos os seres vivos, biomas como o Pampa são os mais ameaçados e menos protegidos do planeta. Isso se deve ao fato de serem os biomas que apresentam características que lhes conferem uma boa produtividade e favorecem a ocupação humana.  No Brasil, grande parte do Pampa foi alterado, sendo substituído por lavouras de milho, soja, arroz, trigo, além de monoculturas de Pinus sp. E pecuária extensiva. Estima-se que, em 2008, restavam apenas 36% da sua vegetação nativa. Muitas áreas já foram afetadas de tal modo que não podem mais ser utilizadas, pois apresentam baixa produtividade, devido ao manejo insustentável, ou estão degradadas, devido ao sobrepastoreio.
  4. 4. z Fauna A fauna do Pampa também é bastante diversificada. Dentre as inúmeras espécies de animais encontradas nesse bioma, podemos citar: mamíferos, como o veado-campeiro e os furões anfíbios, como o sapinho-de-barriga-vermelha aves, como o joão-de-barro, a ema, a perdiz e a caturrita Muitas espécies encontradas no Pampa são endêmicas, como: sapinho-de-barriga-vermelha beija-flor-de-barba-azul---------------------------------------------------------- tuco-tuco Algumas estão em risco de extinção, como: veado-campeiro picapauzinho-chorão
  5. 5. z Animais do Pampa Jacu Jararaca-do-banhado S, Zorrilho Veado-campeiro Ema
  6. 6. z Flora do Pampa  O Pampa apresenta grande diversidade vegetal, podendo ser encontradas em torno de três mil espécies de plantas. A vegetação é constituída por espécies herbáceas, com uma grande diversidade de gramíneas, arbustos e árvores de pequeno porte. A paisagem é constituída principalmente por campos naturais, apresentando regiões com matas restritas às margens dos locais onde o relevo é mais acidentado.  Dentre as espécies vegetais encontradas no Pampa, podemos citar:  grama-tapete  capim-forquilha  flechilha  cabelo-de-porco  babosa-do-campo  trevo-nativo  algarrobo  Jatobá Assim como as pradarias, a vegetação dos Pampas é predominantemente campestre, formada por plantas herbáceas, o que inclui as gramíneas, e espécies arbustivas. Em algumas áreas desse bioma, é possível identificar a presença de matas ciliares, algumas árvores decíduas e formações pioneiras, embora em menor quantidade.
  7. 7. z Pitanga Frutas e plantas do Pampa Jatobá nhandavaí Unha-de-gato
  8. 8. z Uma curiosidade  Você sabia que...   “Pampa” é um termo de origem quíchua (indígenas da América do Sul) que significa “região plana”.   O levantamento do Mapbiomas mostra que, nesses últimos 36 anos, o Pampa perdeu 2,5 milhões de hectares de vegetação nativa e, desse total, mais de 1,9 millhão foi destinado à agricultura, o que corresponde a 76% da devastação. A atividade, que ocupava 29,8% do bioma em 1985, passou a usar 39,9% do território em 2020.
  9. 9. z

×