Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Matriz curricular-6-ano-marista

1.411 Aufrufe

Veröffentlicht am

  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Matriz curricular-6-ano-marista

  1. 1. 01 Direção: Profª Renata Teixeira Junqueira Freire Vice Direção Administrativa: Márcio Lóes Alcalá Coordenação Pedagógica Educação Infantil e 1º Ano Ensino Fundamental I Profª. Hevelyn Tatiane Silva Barcelos Campelo Coordenação Pedagógica Ensino Fundamental I: Profª. Marta Candido Moreira Coordenação Pedagógica Ensino Fundamental II: Profª. Adriene Cristina Pontes Alves Silva Coordenação Pedagógica Ensino Médio: Profª. Neusi Rosa Gonzaga Oliveira
  2. 2. 02 NOSSA MISSÃO A Missão da UBEE-UNBEC é educar e evangelizar crianças e jovens, fundamentada em São Marcelino Champagnat, para formar cristãos e cidadãos comprometidos na construção de uma sociedade sustentá- vel, justa e igualitária. VISÃO DE FUTURO Ser referência nacional em educação, pastoral e ação social, reconhe- cida por: • Excelência acadêmica e formação em valores • Empreendedorismo educacional, social e cultural • Desenvolvimento do protagonismo infanto-juvenil • Gestão profissional e estratégica • Forte identidade e imagem institucional • Efetiva articulação com a comunidade eclesial e a sociedade. PROPOSTA CURRICULAR Senhores pais, Ao apresentarmos a proposta curricular 2010 queremos ressal- tar a importância da parceria entre a família e a escola. Somos parcei- ros na tarefa educativa. Que sejamos aliados. Que possamos compre- ender a escola, como uma instituição de precioso valor na formação de nossas crianças e jovens. Nosso projeto educativo integra o desenvolvimento dos nossos
  3. 3. 03 alunos na dimensão formativa e informativa. Ou seja, queremos ga- rantir uma excelente formação acadêmica, que permita o desenvolvi- mento das diferentes capacidades de nossos alunos; intelectuais, só- cio-afetivas e psicomotoras. Uma escola, que realmente, possa solidi- ficar bases necessárias para o sucesso futuro de nossos alunos na car- reira profissional, que escolherem. Ao mesmo tempo, consideramos de extrema importância, a formação de valores, como a defesa da jus- tiça social, da solidariedade, do amor ao próximo. Consideramos a fé, como alicerce para a força interior e estruturação humana. Assim, ser, conviver, refletir, sentir, construir , expressar, são ações que se tor- nam princípios e perspectivas de nosso trabalho. Precisamos formar profissionais, mas profissionais que sejam pessoas humanas, equilibradas e felizes. Contamos com a confiança e a parceria efetiva durante o ano, para que os conteúdos trabalhados, sejam realmente instrumentos para o desenvolvimento intelectual e humano de nossos alunos. Recebam o nosso abraço fraterno. Márcio Alcalá Vice-diretor Administrativo Renata Teixeira Junqueira Freire Diretora
  4. 4. Querido(a) aluno(a) Ao entregarmos a proposta curricular 2010 destacamos a importân- cia da sua participação e compromisso para o sucesso do nosso projeto educativo. Assim se constitui de fundamental importância a sua responsabili- dade em aspectos como: Pontualidade e assiduidade Participação efetiva nas aulas Estudo e cumprimento das tarefas de casa Empenho nas avaliações e atividades pedagógicas Postura de aprendiz, ou seja, a demonstração do desejo de apren- der, de buscar, de querer aprender. Neste caderno estão importantes informações sobre a programação curricular que será desenvolvida em 2010. Conheça o que será estudado, acompanhe nosso trabalho e traga suas perguntas, ideias e sugestões. Lembre-se que na sua caminhada como estudante, você contará com as nossas orientações, apoio e confiança. Conte conosco! O seu sucesso é o nosso sucesso! Renata Teixeira Junqueira Freire AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM “Queremos cabeças bem cheias ou bem feitas? Alunos alegres ou instruídos? Um desen- volvimento global ou aquisição de noções? Queremos interiorizar normas ou desenvol- ver a criatividade e a autonomia? PERRENOUD, Phillipe Nas disposiçõe gerais do Capítulo II do artigo 21, Lei 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), constam, entre os critérios, para 04
  5. 5. 05 a verificação do rendimento escolar na Educação Básica: — A avaliação contínua e cumulativa do desempenho do educando, destacando-se os aspectos, qualitativos e os resultados no processo sobre os quantitativos e os das provas finais; — Os estudos de recuperação obrigatórios e preferencialmente pa- ralelos ao período letivo. Assim, em consonância com o que determina a lei e, de acordo com a concepção de ensino-aprendizagem adotada no Colégio Marista Diocesano, organizamos o processo de avaliação da seguinte forma: a) Os períodos de avaliação A avaliação é durante todo o processo de ensino aprendizagem, por meio de instrumentos formais e estratégias informais de observação e in- terpretação qualitativa das habilidades, competências e conhecimentos construidos pelo educando. Os alunos realizam semanalmente provas escrita, individuais, con- forme cronograma apresentado no início de cada etapa letiva. Além das provas individuais semanais, desenvolvem-se atividades e projetos interdisciplinares, trabalhos individuais, estudos dirigidos, debates, semi- nários, pesquisas, entre outros. Às três etapas letivas, determinadas no calendário escolar anual, correspondem os períodos de avaliação da aprendizagem e a distribuição de pontos, a saber: 1ª etapa: 30 pontos 2ª etapa: 30 pontos 3ª etapa: 40 pontos No final do ano letivo, será considerado aprovado o aluno que: tiver frequência igual ou superior a 75% do cômputo geral da car- ga horário oferecida na série; obtiver, em cada disciplina, total igual ou superior a 60% da soma dos pontos distribuídos ao longo do ano letivo. Quanto à avaliação do aluno no aspecto processual e qualitativo con
  6. 6. sidera-se o Conselho de Classe o órgão legalmente instituído (conforme Regimento do Colégio Marista) para a sua realização. b) Os estudos de recuperação Com o objetivo de oferecer ao aluno outras possibilidades de cons- trução da aprendizagem de conteúdos e competências, realizam-se os es- tudos de recuperação paralela e recuperação final. O processo de recuperação se desenvolve em sistema de monitoria, por disciplina, durante a etapa letiva, e realização de provas, após o encer- ramento da etapa. Os estudos de recuperação poderão ser realizados em todas as dis- ciplinas em que o estudante não atingiu a média mínima necessária. Com o objetivo de buscar a recuperação de conteúdos e notas assim se distribuem os pontos dos estudos de recuperação que anulam os pon- tos obtidos em cada etapa. 1ª etapa: 30 pontos 2ª etapa: 30 pontos Recuperação Final: 100 pontos Entre a nota da etapa e a da recuperação, prevalece a maior nota, observando-se o limite da média (60%). O aluno pode obter, como resultado máximo da recuperação final e do respectivo ano letivo, o correspondente à média: 60% do total distribu- ído durante o ano. SÃO FUNÇÕES DA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO COLÉGIO MARISTA DIOCESANO DE UBERABA. Diagnosticar: caracterizar o aluno quanto aos seus interesses, ne- cessidades, conhecimentos e habilidades; identificar dificuldades e possí- veis causas; Retroinformar: oferecer subsídios para replanejamento do trabalho docente; Estimular o desenvolvimento individual do aluno, a partir do seu 06
  7. 7. autoconhecimento; Verificar o rendimento escolar com vistas à certificação da aprova- ção para a série seguinte. No contexto do programa de Educação Integral, desenvolvido no CMDS, consideramos a importância de diferentes tipos de aprendizagem, além dos aspectos conceituais inerentes à cada disciplina escolar. Aborda- mos e avaliamos, portanto, o conhecimento do aluno nas seguintes cate- gorias: a) A avaliação dos conteúdos atitudinais, feita pela observação sis- temática dos alunos através de opiniões emitidas e de suas atuações nas atividades grupais, nos debates, nas assembléias, nas manifestações dentro e fora de sala de aula, nas atividades de campo, excursões, nas distribui- ções das tarefas e responsabilidades, durante o recreio, nas atividades esportivas, etc. b) A avaliação dos conteúdos procedimentais, que implicam no sa- ber fazer, isto é, se dá quando verificamos o desempenho do aluno na aquisição do saber dialogar, debater, fazer pesquisa, trabalhar em equipe, utilizar instrumentos. c) A avaliação dos conteúdos conceituais, que se situam, especial- mente, dentro das capacidades cognitivas. A metodologia que adotamos para avaliação da aprendizagem dos conceitos é o domínio deles expresso por meio de representações por escrito, utilizando de habilidades cognitivas de progressiva complexidade, tais como: transferência, dedução, classifi- cação, inferência, análise, síntese, julgamento, etc. 07
  8. 8. 08 6º ANO HISTÓRIA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: EntenderaHistóriacomooestudodossereshumanosemsuasrelações sociais sob diferentes tempos e espaços, perceber as experiências humanas em seu constante processo de transformação fazendo com que os homens sejam sujeitos e produtos da História, perceber o movimentoeadiversidade,estabelecendocomparaçõesentregrupos esociedades,situar-sediantedaspermanênciasemudanças,rupturas e continuidades. Objetiva-se que os alunos possam ampliar suas capacidades lançando um novo olhar sobre as múltiplas possibilidades da sociedade e dos processos de compreensão humana e desenvolvendoaautonomiaeacompreensãodarealidadeedescubra- se como participante e co-responsável na vida social. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Que história é essa? Os diferentes significados da palavra “história” Tempo e história Divisões da história A pré-história Havia história “antes da História”? O Estudo da Pré-História A origem do ser humano A evolução do ser humano
  9. 9. 09 Os períodos da Pré-história Grandes mudanças: agricultura, domesticação e metalurgia. O homem chega à América Os primeiros habitantes da América A origem dos primeiros povos americanos Os períodos da Pré-História americana A diversidade das sociedades americanas O povoamento do atual território brasileiro Os indígenas do Brasil Quando começou a nossa história? Os grupos indígenas do Brasil Modos de vida, crenças e mitos A História dos povos indígenas hoje A civilização egípcia O que é uma civilização? A origem da civilização egípcia Uma hipótese sobre o surgimento do Estado no Egito A divisão social e a economia no Egito antigo Os períodos da história egípcia Religião, ciência e arte As civilizações da Mesopotâmia Mesopotâmia: “região entre rios” Povos e impérios da Mesopotâmia Assírios e caldeus - origem de dois grandes impérios Economia, sociedade e política
  10. 10. 10 Alguns aspectos culturais Hebreus, Fenícios e Persas Semitas e Indoeuropeus Os Hebreus A versão bíblica da História dos Hebreus Divisão e dispersão dos Hebreus Os Fenícios Os Persas As primeiras civilizações da América A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Os Maias Os Astecas As civilizações andinas Origens da Grécia antiga As relações de poder ontem e hoje A Grécia Antiga O período Pré-Homérico: a civilização cretense O período Homérico O período Arcaico e as polis A Grécia clássica O período Clássico A sociedade Espartana A sociedade Ateniense As leis e a política em Atenas
  11. 11. 11 A trajetória grega: do clássico ao helenismo A cultura da Grécia antiga As guerras Médicas e a hegemonia ateniense As guerras do Peloponeso e o período Helenístico A religiosidade na Grécia antiga As artes na Grécia antiga A filosofia e ciência A cultura helenística Roma: Da Monarquia à República Origens da civilização romana A Monarquia romana A República romana Sociedade e conflitos O expansionismo romano A crise da República O império romano O Império romano O Triunvirato e a ditadura de César O Alto Império Dinastias do Alto Império O Baixo Império Aspectos culturais da Roma antiga A civilização da Índia e da China Índia: primórdios da civilização Os Vedas e as invasões dos Persas As dinastias Máuria e Gupta China
  12. 12. 12 Antigas dinastias A China Imperial INGLÊS INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: A área tem como objetivo principal que o educando perceba o texto em sua função sociocomunicativa, por isso privilegia o estudo da estrutura das características e da finalidade de diversos gêneros textuais. Espera-se que ele interaja com o texto como seu interlocutor e,portanto,escolhaentreaspossibilidadesdalínguainglesa,asformas apropriadasàsdiversassituaçõesdecomunicação.Comoleitor,deseja- se que o aluno ouça, analise, interprete, avalie e critique as produções de fala e de escrita do outro; como produtor de texto, que expresse seupontodevista,comclarezaeobjetividade,considerandoasituação comunicativa e o ponto de vista do interlocutor. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS: Basic Level ( Nível 1) Present tense TO BE/ Possessive Adjectives/Personal Pronouns Cardinal Numbers ( 1 to 10)/Countries/Cities. Present Tense TO BE/Possessive Adjectives/Personal Pronouns/ Wh-questions: WHAT, WHERE, HOW/ Cardinal Numbers (11 to 20). Possessive Adjectives/Personal Pronouns/ A-AN/ Singular and Plural nouns/Nationalities/Occupations/Food. Prepositions of place: in-on-under/Present tense TO BE: Yes/No questions and WH-questions/Colors/Everyday objects/School objects.
  13. 13. 13 Possessive (‘s) /Possessive Adjectives/ This-That-these-those/ Alphabet/Family numbers. Question words/Personal Pronouns/Possessive adjectives/ Present tenseTO BE/Cardinalnumbers (21-101)/Months/Sports. Present tense TO BE: affirmative-negative-interrogative/ Adjectives describing feelings. Adjectives/School subjects/Days of the week. There is-are/ Some-any/ Places in a town/weather/parts of the house & furniture. Imperative(aff.andneg.)/Spellingofpluralnouns(-s/-esendings)/ weather Can (request)/ School related words. Advanced Level ( Nível 2) Welcome Unit – Verb to be am-is-are)/The Alphabet/Greetings/ Numbers 1 to 20/ Spelling/School Objects & classroom commands. Question words: What-where & how old/ preposition from/ Possessive Adjectives: my and your/ Verb to be ( aff. )/subject pronouns (I-you-he-she)/Where + to be/Verb to (int.) and short answers/ Subject pronoun: it/ Question words: when and how/ Preposition in + month/Countries and nationalities/Colors/ Months of the year. Verb to be ( neg.)/ Subject pronouns: we and they/verb to be and short answers/Possessive Adjectives: my-his-her-our and their? Parts of the body/ Adjectives (physical characteristics and personality)/Occupations/Sports/Adjectives/Opinionadjectives/ Titles ( Mr./Miss, Mrs./ Ms.).
  14. 14. 14 Demonstrative pronouns: this – that and these - those/Indefinite articles:aandan/Possessive (‘s)/ Let’s + verb/Conjunctions:and- but/School objects/Personal objects/Objects. There is – there are (aff.- neg.-int.) + short answers/ Where is- are…?/Prepositions of place/Any and no/Question word: how many…/ Pronoun: none/ school and neighbors facilities/objects/ numbers 20-50. Possessive(‘s–‘)/regularandirregularplurals/wordorder/have- has/What about + noun or verb + ing/ There is-are vs. have-has/ family members/parts of the body/ Chunks: go & play + activities and sports/Occupations. Verbs: love-like, don’t like, hate/have x don’t have/prepositions of time: in –on- from… to-at/ Question words: When…? What time…?/School subjects/days of the week/periods of the day/ hours – a.m. – p.m./Sorry-no problem/that’s all right Present simple (aff) + subject pronouns I-you-we and they./ Sequences: first-then-after that/Present simple(int.) + short answers with subject pronouns I-you-we and they/ Prepositions : by and on/Present simple (neg.) + subject pronouns: he and she/ every day activities/meals/outdoor activities and sports/ Acronyms/ Chunk: how do you go to…?/Collectables/Pets PresentSimple(aff.)/subjectpronounsHeandshe/Presentsimple (int.) + short answers/subject pronouns: he, she and it/adverbs of frequency: always, often, sometimes and never/position of adverbs of frequency/verbs/adjectives/weird pets.
  15. 15. 15 LÍNGUA PORTUGUESA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: A área tem como objetivo principal que o educando perceba o texto em sua função sociocomunicativa, por isso privilegia o estudo da estrutura das características e da finalidade de diversos gêneros textuais. Espera-se que ele interaja com o texto como seu interlocutor e, portanto, escolha entre as possibilidades da língua materna, as formasapropriadasàsdiversassituaçõesdecomunicação.Comoleitor, deseja-se que o aluno ouça, analise, interprete, avalie e critique as produções de fala e de escrita do outro; como produtor de texto, que expresse seu ponto de vista, com clareza e objetividade, considerando a situação comunicativa e o ponto de vista do interlocutor. Em relação à Literatura, objetivam-se o desenvolvimento pelo gosto da leitura e a apreciação, da dimensão estética dos textos literários. É importante também que o aluno reconheça a literatura como forma de expressão estética de sentimentos humanos e valores sociais, produto de um trabalho do homem historicamente situado. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS: Linguagemoral Leitura oral: expressividade, entonação, musicalidade, dicção (poema, relato pessoal, notícia, reportagem). Interpretação do texto oral, considerando a polissemia, a ambiguidade e a subjetividade do discurso. Análisedasintençõesexplícitas,inferênciadasintençõesimplícitas do enunciador e posicionamento crítico em relação às vozes do discurso.
  16. 16. 16 Argumentação e contra-argumentação com consistência e objetividade. Elaboraçãode síntesesoraisapartirdaescutadeideiasedebates, teses e opiniões e / ou a partir de leituras diversas. Linguagemescrita Gêneros textuais: conto maravilhoso, resumo, relato pessoal, e- mail, diário, cartaz, receita, fábula, poema (contato e uso), propaganda, história em quadrinhos / tirinha, esquema, pequenos textos de opinião. Análise e reflexão sobre a língua Características dos gêneros textuais. Análise das sequências discursivas: descrição e narração Variação linguística Léxico: sinonímia. Ambiguidade Linguagem conotativa Fato / opinião Ortografia Análise do efeito de sentido decorrente do uso de pontuação expressiva Morfossintaxe: Relações morfossintáticas (determinantes e determinados) Classes de palavras: substantivo, adjetivo e locução adjetiva, pronome, numeral, artigo Concordância nominal
  17. 17. 17 Correlação de termos referentes REDAÇÃO INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: A área tem como objetivo principal que o educando perceba o texto em sua função sociocomunicativa, por isso privilegia o estudo da estrutura das características e da finalidade de diversos gêneros textuais. Espera-se que ele interaja com o texto como seu interlocutor e, portanto, escolha entre as possibilidades da língua materna, as formasapropriadasàsdiversassituaçõesdecomunicação.Comoleitor, deseja-se que o aluno ouça, analise, interprete, avalie e critique as produções de fala e de escrita do outro; como produtor de texto, que expresse seu ponto de vista, com clareza e objetividade, considerando a situação comunicativa e o ponto de vista do interlocutor. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Linguagemoral Leitura oral: expressividade, entonação, musicalidade, dicção. Interpretação do texto oral, considerando a polissemia, a ambiguidade e a subjetividade do discurso. Percepção das intencionalidades discursivas ao analisar as informações explícitas e implícitas, as inferências e os pressupostos,alémdeposicionamentocríticoemrelaçãoàsvozes do discurso. Argumentação e contra-argumentação com consistência e objetividade.
  18. 18. 18 Elaboraçãodesíntesesoraisapartirdaescutadeideias,debates, teses e opiniões levando-se em conta leituras diversas. Linguagem escrita – Produção de textos Reconhecimento e caracterização dos tipos de textos: narrativo, descritivo, dissertativo, injuntivo e preditivo Reconhecimento e caracterização dos diversos gêneros textuais: conto maravilhoso, resumo, relato pessoal, e-mail, diário, cartaz, receita, fábula, poema, propaganda, história em quadrinhos/ tirinha, esquema, pequenos textos de opinião Produção de textos com clareza e objetivadade Adequação da linguagem ao interlocutor e à situação Apresentação de textos levando-se em conta a legibilidade, a organização espacial, a correção e a pontuação Elaboração de textos com coerência, coesão, continuidade, considerando-se o tipo e o gênero textual proposto, tendo em vista um possível leitor Segmentação do texto em parágrafos Transposição da linguagem não-verbal para a verbal e vice-versa Relacionamento entre linguagem verbal e não-verbal na elaboração de textos. MATEMÁTICA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Asreflexõessobreoconhecimentomatemático,suanatureza,seupapel na sociedade hoje, sua construção individual e coletiva trazem para a educação o desafio de refletir a respeito da colaboração que a
  19. 19. 19 Matemática tem a oferecer com vistas à formação da cidadania. Ou seja, sua contribuição para a constituição de condições humanas de sobrevivência, inserção das pessoas no mundo do trabalho, das relações sociais e da cultura, com o desenvolvimento de posicionamento crítico e propositivo diante das questões sociais. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Números e Operações Operações fundamentais no Conjunto dos Números Naturais (N) Potenciação, raiz quadrada e expressões numéricas Média aritmética Múltiplos e divisores Divisibilidade e seus critérios Números Primos Cálculo de MDC e MMC Forma fracionária dos números racionais e suas operações Relaçãoentreasrepresentaçõesfracionária,decimalepercentual Geometria Ideia de ponto, reta e plano Ângulos: Definição e construção Regiões planas Polígonos Triângulos e quadriláteros Perímetro de um polígono Áreas das figuras planas
  20. 20. 20 Sólidos geométricos Volume do paralelepípedo retângulo Grandezas e Medidas Medida de tempo Medida de ângulo Unidades de medida de comprimento Unidades de medida de superfície Unidades de medida de volume Unidades de medida de capacidade Relação entre volume e capacidade Obs: Os conteúdos são trabalhados com ênfase na resolução de problemas, envolvendo o cotidiano do aluno. GEOGRAFIA INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Levar o aluno a compreender e explicar as relações da sociedade com o meio em que vive, a partir de conceitos, imagens, dados estatísticos, categorias e procedimentos básicos que fundamentam a ciência geográfica. Além disso, permitir a capacidade de instrumentalizar o espaço geográfico no qual as relações se harmonizem em busca de uma sociedade justa, cidadã e ciente da importância da preservação do espaço geográfico. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Desvendando paisagens e compreendendo o mundo
  21. 21. 21 Paisagem, espaço e lugar O trabalho humano e a alteração do espaço geográfico A importância da Cartografia e a linguagem cartográfica. Orientação no espaço geográfico (rosa dos ventos, coordenadas geográficas, latitude, longitude, hemisférios e outros). O Planeta Terra Características gerais do planeta Terra A estrutura interna da Terra e os grandes acontecimentos geológicos As formas de relevo e os agentes formadores Os rios e as bacias hidrográficas Os climas As grandes paisagens vegetais Atuaçãodohomem O espaço rural, suas paisagens e transformações O espaço humano, suas paisagens e transformações O extrativismo e a agropecuária Indústria, comércio e prestação de serviços As fontes de energia ARTE INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: O ensino de arte visa uma proposta educativa integrada, onde as diferentes linguagens e formas de expressão artística possibilitem a
  22. 22. 22 formação de crianças e jovens mais críticos esteticamente e culturalmente, além de oportunizar experiências que desenvolvam a criatividade e a sensibilidade através do olhar artístico. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Eixos do Conteúdo Arte e Vida Arte e Linguagem Arte na Construção da Identidade do Homem Perceber manifestações artísticas em nosso dia-a-dia. Valorizar a arte como manifestação cultural e forma de comunicação entre os povos. Reconhecer os diferentes contextos da arte. Reconhecer a presença da arte e suas relações sociais, culturais, religiosas e estéticas. Perceber e reconhecer elementos da composição plástica e artística em geral. Observar e reconhecer as diferentes formas de registro da figura humana em movimentos artísticos e atividades de expressão. ReconhecerosprimeirosprodutoresdeartenoBrasilenomundo Arte na Antiguidade, Arte Indígena, Arte Rupestre. Produzir atividades artísticas, individuais e em grupos, a partir dos conteúdos estudados Relacionar arte e religiosidade, arte e ciência, arte e expressão de sentimentos, arte e manifestação de protesto e crítica.
  23. 23. 23 CIÊNCIAS INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: EnvolveasdisciplinasdeCiênciasdoEnsinoFundamentalIeII(Ciências Naturais, de acordocom os PCN’s), Biologia, Física e Química do Ensino Médio. Temos substituído a visão puramente lógica por uma participaçãoefetivadoalunonoprocessodeaprendizagem.Sãocriadas condições para que o aluno identifique problemas, a partir de observações sobre um fato, proponha e teste hipóteses, podendo ou não refutá-las. Trata-se de permitir que o aluno possa “redescobrir” o que a ciência já conhece. Adequados a cada nível, os temas: meio ambiente, saúde e tecnologia são sempre abordados e, quando possível, de forma inter e transdisciplinar. Entendemos que valorizar o conhecimento da natureza é permitir ao alunoposicionar-semelhorfrenteaosdesafioscrescentes,emespecial, o de um modelo para o desenvolvimento sustentável e os avanços da biotecnologia. Outra ação que é desenvolvida pela área é o incentivo a leitura e interpretação de textos de cunho científico e a aplicação dos conhecimentos de Biologia, Física e Química na compreensão dos fenômenos naturais. Atividade relevante desenvolvida pela área são as aulas práticas – laboratórios de Ciências, Biologia, Física e Química. As aulas práticas permitem reforço e auxílio ao desenvolvimento dos conteúdos aplicadosemsaladeaula,inclusivecomodesenvolvimentodeprojetos científicos que, em geral, são expostos durante a Mostra de Ciências e Tecnologia.
  24. 24. 24 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Ecologia Fatores bióticos e fatores abióticos presentes no ambiente Cadeias e teias alimentares Sol como fonte de energia básica para a manutenção da vida Fotossíntese como processo de produção de matéria orgânica e de gás oxigênio Situações de desequilíbrios nas teias alimentares em função das mudanças de ambiente Decomposição pela atividade trófica de bactérias e fungos Relações entre os seres vivos no ambiente Solo O interior da Terra Tectonismo de placas e suas consequências Rochas: sua utilização e dos minerais pelo homem Petróleo:fontedeváriassubstânciasemateriais(plástico,fibras, combustíveis, etc) Solo: formação, tipos, importância, problemas, uso consciente e técnicas de melhoria Lixo: destinação, problemas ambientais e sociais, consciência e processos de tratamento, reciclagem ou reutilização Saúde: manutenção e prevenção de verminoses Água Água: características, propriedades, uso e qualidade Mudanças de estado físico
  25. 25. 25 Natureza ciclíca das transformações da água na natureza. Ponto de fusão e de ebulição: pressão atmosférica e altitude Tratamento da água: ETA e ETE Propriedades físicas da água: pressão, vasos comunicantes, princípio de Pascal Água como fonte de energia Saúde, contaminação e poluição da água: manutenção e prevenção de doenças Ar Ar: presença, composição, características e qualidade Camadas atmosféricas: as propriedades, ar rarefeito, altitude e pressão atmosférica Propriedades dos principais gases da nossa atmosfera Poluição atmosférica: alterações na composição do ar atmosférico devido à emissão de substâncias, partículas e outros materiais produzidos por agentes poluidores Efeito estufa, destruição da camada de ozônio, chuva ácida e inversão térmica Propriedades físicas do ar: pressão atmosférica, compressibilidade e elasticidade Previsão do tempo: aparelhos de medição, massas de ar e temperatura Saúde: manutenção e prevenção de doenças Universo Sistema solar: planetas, satélites, meteoros, cometas e demais astros
  26. 26. 26 Estrelas e galáxias Planeta Terra: rotação, translação e eclipses Feira de Ciências Pesquisa, criatividade, invenção e vocação científica SERVIÇO EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR ( SEFE) INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Contribuir para a formação integral e para a qualidade de vida dos alunos, possibilitando uma reflexão sobre suas potencialidades corporais. Assim, por meio do desenvolvimento de sua autonomia, o aluno poderá exercer sua função de integrante, dependente e agente transformador da sociedade, dentro de uma vivência cristã e culturalmente significativa. Dessa forma, será considerado o todo: os aspectos sociais, psicoafetivos, emocionais e corporais, de maneira interligada. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Núcleos estruturadores e estruturantes do currículo: Corpo Identidade Estrutura e funcionamento Saúde Jogos e Brincadeiras Contextualização sócio-histórica e cultural Características
  27. 27. Regras Técnicas Táticas Esporte Contextualização sócio-histórica e cultural Características Regras Técnicas Táticas Basquete Futsal Futebol de campo Voleibol Peteca Atletismo Jogos de salão: dama, xadrez e tênis de mesa Ginástica geral e de solo Contextualização sócio-histórica e cultural Características Princípios e normas Técnicas Lutas Contextualização sócio-histórica e cultural 27
  28. 28. Características Regras Técnicas Eventos Organização Características Competição Jogos internos Jogos municipais Amistosos Olimpíada Provincial Marista ENSINO RELIGIOSO INTENÇÃO EDUCATIVA DA ÁREA: Promover a compreensão, a interpretação e a (re)significação da religiosidade e do fenômeno religioso em suas diferentes manifestações,linguagensepaisagensreligiosaspresentesnasculturas e nas sociedades. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS O ser humano é um ser Religioso Religiosidade Fenômeno Religioso Religião 28
  29. 29. Transcendência Tema da Campanha da Fraternidade 2010: Economia e Fraternidade Religiões que formaram a religiosidade do povo brasileiro: As práticas religiosas indígenas As religiões europeias As religiões africanas Movimentos messiânicos Religiões orientais Sinais culturais de religiosidade existentes no povo brasileiro: Expressões religiosas incorporadas à fala corrente, à cultura e linguagem popular Costumes, gestos religiosos e expressões orais Manifestações da religiosidade popular em diferentes regiões brasileiras 29

×