Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Sexualidade e Adolescência

METODOLOGIA DE ORIENTAÇÃO SEXUAL QUE GARANTA A CONSTRUÇÃO DE VALORES PARA ADOLESCENTES.

  • Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

Sexualidade e Adolescência

  1. 1. ALUNO(A): Adriana Rodrigues do Carmo PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A): Leila Smidth
  2. 2. METODOLOGIA DE ORIENTAÇÃO SEXUAL QUE GARANTA A CONSTRUÇÃO DE VALORES PARA ADOLESCENTES.
  3. 3. INTRODUÇÃO Sabe-se que a adolescência é uma fase onde há inúmeras mudanças biopsicossociais que fazem com que o adolescente necessite de cuidados especiais. Os adolescentes são muito instáveis e vulneráveis em função de todos os processos biopsicossociais a que estão submetidos e nesse processo que faz com que ele se encontre com a vida adulta ocorrem perdas em diversos aspectos da sua vida como: mudança do corpo, perda de fantasias, de amigos e etc. Nessa fase de crescimento físico, mental e social ocorre também o desenvolvimento sexual, porém a sexualidade ainda é marcada por preconceitos e tabus que permeiam a sociedade e a família. Segundo Costa (2001), a orientação sexual de adolescentes é um assunto bastante abordado na atualidade, mas no ambiente escolar não é um assunto fácil de ser trabalhado, pois envolve alguns fatores: a escola, os educadores, a família, a Enfermagem, uma equipe multidisciplinar e o próprio adolescente. Segundo Borges, Nichiata e Schor (2006), tanto os profissionais de saúde quanto os professores necessitariam ser capacitados a ir, em suas intervenções, além do modelo biológico, e iniciar discussões e incitar reflexões acerca da sexualidade enquanto uma dimensão socialmente construída.Mediante essas afirmações, o estudo das metodologias que são usadas para a orientação sexual nas escolas, torna-se essencial para garantir a construção de valores para a saúde dos adolescentes.
  4. 4. QUESTÃO NORTEADORA Que metodologias de orientação sexual têm sido aplicadas aos adolescentes pelos professores dos ensinos fundamental e médio?
  5. 5. JUSTIFICATIVA Apesar da orientação sexual aplicada aos adolescentes em escolas por professores no ensino fundamental e médio, vem crescendo o número de adolescentes grávidas, com doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), HIV e hepatites, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Com essa constatação surgiu o interesse em estudar as metodologias que estão aplicadas pelos professores no âmbito escolar.
  6. 6. MÉTODO Pesquisa qualitativa, transversal. Os sujeitos da pesquisa serão professores da rede municipal de ensino que trabalhem com educação sexual, que demonstrarão sua concordância em participar da pesquisa através do termo de consentimento livre e esclarecido. A coleta de dados será feita em colégio ainda a ser definido e após autorização pelo comitê de ética em pesquisa. O instrumento de coleta de dados será um questionário, para posterior análise.
  7. 7. OBJETIVOS  OBJETIVO GERAL: Investigar metodologias utilizadas por professores em educação sexual que garantam a construção de valores para a saúde do adolescente.  OBJETIVOS ESPECÍFICOS: 1 - Realizar levantamento das metodologias de orientação sexual aplicadas pelos professores nas escolas. 2 - Comparar as metodologias encontradas com referências da literatura.
  8. 8. DIFUSÃO DO CONHECIMENTO GERADO Publicar em revistas, periódicos e/ou jornais, como artigo científico.
  9. 9. CRONOGRAMA DA PESQUISA MAIO JUN. JUL. AGO SET. Elaboração do projeto x Encaminhamento ao C. E. x Estado da arte x x x x Resposta do C.E. P x x Coleta de dados x x
  10. 10. REFERÊNCIAS  BORGES, Ana Luiza Vilela; NICHIATA, Lúcia Yazuco Izumi, SCHOR, Néia. Conversando sobre sexo: A rede sociofamiliar como base de promoção da saúde sexual e reprodutiva de adolescentes. Revista Latino-americana de Enfermagem maio-junho. São Paulo, 2006  COSTA F.C., PRADO S.R.L.A. O papel do enfermeiro na orientação sexual de adolescentes no ambiente escolar. Revista de Enfermagem UNISA 2001; 2: 80-3.  HEIDEMANN, M.. Adolescência e saúde: uma visão preventiva. Para profissionais de saúde e educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

×